Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

“Daqui a pouco não vai poder mais nem torcida nos estádios”

Rubens Angelotti, presidente da FCF, lamenta interferência no futebol catarinense
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 12/05/2018 - 15:12
(foto: Marco Búrigo)
(foto: Marco Búrigo)

A Federação Catarinense de Futebol (FCF) publicou ontem uma resolução proibindo faixas em estádios de futebol em Santa Catarina. A decisão aconteceu por solicitação da Polícia Militar e do Ministério Público de Santa Catarina, sob a alegação de que ampliaria a visão da PM para todos os pontos dos estádios.

Com a divulgação no site oficial da Federação, a notícia viralizou nas redes sociais e revoltou os torcedores de clubes catarinenses. Então, a FCF lançou uma nova nota e, desta vez, esclareceu que a proibição seria válida apenas para clássicos entre Avaí e Figueirense, no Campeonato Brasileiro da Série B.

Hoje, Rubens Angelotti, presidente da Federação Catarinense de Futebol esclareceu a situação no Som Maior Esportes. “A gente não voltou atrás de nada. Cumprimos uma determinação. A princípio veio a todos os estádios. Mas eu, não contente, pedi que o Rodrigo (Capella, procurador jurídico) se dirigisse ao Comando Geral para conversar, porque acho que não tem necessidade de ser em todos os estádios. E aí o rodrigo se dirigiu, explicou e decidiu-se revogar a primeira medida e ir para um segunda, na qual apenas os clássicos não teriam faixas”, esclareceu.

Angelotti esclareceu que a FCF não foi favorável a medida de extinguir as faixas em nenhum momento. “Não somos favoráveis e tirar o brilho do espetáculo, as faixas, a vibração da torcida e a festa toda. A torcida tem que se mostrar. Com uma torcida ordeira vamos conquistar todas essas coisas”, afirmou.

O presidente disse ainda que o futebol catarinense está sofrendo muitas interferências externas. “A gente vai fazer o que?! Tem que cumprir o que vem de cima. Tiram o brilho do espetáculo com torcida única, sem faixa, sinalizador. Não pode nada. Daqui a pouco não vai poder mais nem torcida, só o time em campo”, reclamou Angelotti.