Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Da educação para a inovação

Concebido para ser o Complexo de Educação, prédio da Unesc pode determinar o fim de uma novela
Por Vanessa Amando Criciúma, SC, 27/03/2019 - 07:03
Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna
Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna

Está marcada para o dia 15 de abril a próxima reunião que deve tratar sobre a implantação de um Centro de Inovação em Criciúma. A novidade mais recente é a possibilidade de instalar a estrutura, alvo de debates que já se arrastam há alguns anos, em um imóvel objeto de controvérsia. Trata-se do prédio erguido pela prefeitura a partir de 2011 para sediar o Complexo de Educação Nereu Guidi. Arrematada pela Unesc em um leilão em 2014, a estrutura segue inacabada e, agora, indicada para solução do impasse.

De acordo com o presidente da Associação Empresarial de Criciúma (ACIC), Moacir Dagostin, levar o Centro de Inovação para o Complexo da Rua Araranguá ainda é o plano B. “O plano A é manter o projeto inicial e erguer o Centro de Inovação em um terreno no Iparque (Parque Científico e Tecnológico, também da Unesc). O plano B surgiu quando a Unesc colocou à disposição o imóvel da Rua Araranguá. Então, temos esses dois planos, mas existe uma tendência muito grande para seguirmos com o plano B”, destaca.

Segundo Dagostin, o Governo de Santa Catarina, responsável pelos Centros de Inovação, projetou ter 13 desses empreendimentos no estado, sendo que dois já foram concluídos e sete estão com obras em andamento. No entanto, ainda conforme Dagostin, o Estado também teria manifestado que não iniciaria a construção de novos Centros tendo em vista os custos elevados.

“Por isso estamos levantando as duas propostas: o projeto inicial e o que surgiu agora, que acaba sendo menos caro para o Governo porque já existe um prédio no local. Já estivemos em reunião com o deputado Julio Garcia, presidente da Alesc, que estaria disposto a colocar o Centro de Inovação como bandeira do Sul e discutir isso com o Governo, e teremos um novo debate no dia 15 com outros parlamentares para discutir a viabilidade disso tudo”, pontua Dagostin.

A reunião com o presidente do Legislativo catarinense ocorreu na segunda-feira, em Florianópolis, e também contou com a presença da reitora da Unesc, Luciane Ceretta, e do vice-prefeito de Criciúma, Ricardo Fabris.

Já para o encontro do dia 15, a partir das 14h, na sede da ACIC, estão sendo mobilizados todos os parlamentares da região Sul catarinense, tanto deputados estaduais, como federais, além de representantes da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC), ACIC, Unesc, SATC e do Comitê de Implantação do Centro de Inovação. “Também vamos discutir outras questões de interesse regional, como o Plano de Desenvolvimento Regional e obras importantes para a infraestrutura”, adianta o presidente da ACIC.

A importância da mobilização

O presidente do Comitê de Implantação do Centro de Inovação, empresário Mário Gaidzinski, reforça a importância de mobilizar representantes políticos e entidades interessadas no empreendimento e no desenvolvimento de Criciúma e da região de forma geral. “O que precisamos, de fato, é juntar forças para definir onde será construído. É nesse ponto que estamos agora”, ressalta Gaidzinski. Além disso, segundo ele, o objetivo principal é que o projeto saia do papel ainda neste ano.

“O Centro de Inovação será um catalisador para a região. Ainda não foi batido o martelo, sabemos que há uma tendência para que seja instalado naquele prédio da Rua Araranguá, mas, independentemente do local, nosso objetivo é tirar o projeto do papel para que a nossa região não fique órfã, mais uma vez, de uma obra que deve alavancar a nossa economia, como aconteceu durante anos em relação à duplicação do trecho Sul da BR-101”, lembra Gaidzinski.

Tags: unesc imóvel