Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Criciúma começa mal, reage, mas perde a quarta seguida

Tigre não se encontrou na primeira etapa, depois melhorou, mas não foi o suficiente
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 27/10/2017 - 23:21Atualizado em 27/10/2017 - 23:27

O Criciúma foi ao Pará enfrentar o Paysandu na noite desta sexta-feira (27), em jogo válido pela 32ª rodada da Série B e não se deu bem. Com uma atuação fraca na primeira etapa e boa na segunda, o Tigre perdeu por 1 a 0. A equipe permanece na nona colocação, mas ainda pode ser ultrapassada pelo Goiás.

No dia em que Edson Gaúcho se despediu, o Criciúma não conseguiu vencer. A equipe teve boas oportunidades de gol, mas não aproveitou. Foi um jogo daqueles onde cada equipe domina um tempo. Agora o Tigre está com quatro derrotas seguidas.

Primeiro tempo

Logo aos três minutos o Paysandu chegou com perigo, Edson Borges se atrapalhou e perdeu a bola, Renato Augusto ficou com ela, passou para Marcão que chutou rasteiro para fora. O jogo seguiu morno.

Aos 24, em jogada de linha de fundo Juninho cruzou, Fábio Matos se jogou na bola e acabou marcando, a bola passou por baixo de Luiz. Sete minutos depois os donos da casa chegaram de novo, mas o goleiro do Tigre defendeu com facilidade.

O Criciúma fez um primeiro tempo fraco, sem levar perigo ao Paysandu. A equipe parecia aceitar o placar desfavorável.

Segundo tempo

O Criciúma voltou com mudança, saiu Ricardinho e entrou João Henrique. Aos cinco minutos o Paysandu chegou com perigo, mas a bola explodiu na zaga. A primeira chegada do Tigre foi apenas aos 15, com Silvinho chutando para fora, que chutou muito mal e para fora. No minuto seguinte veio a resposta, num chute cruzado de Caion, Luiz salvou.

Após a primeira chegada o Criciúma acordou. Aos 18, Maranhão cobrou falta na área, e Edson Borges desviou de cabeça para fora. Três minutos mais tarde, mais uma chance, Caíque

Valdivia fez boa jogada, passou para Silvinho que chutou muito mal. A pressão continuou, aos 27 Silvinho bateu escanteio, Giaretta cabeceou bem, mas a bola pegou na trave e saiu pela linha de fundo.

O Paysandu chegou mais duas vezes, aos 39 e aos 41, mas Luiz salvou. Aos 43, novamente com Maranhão cobrando falta, João Henrique cabeceou, mas a bola foi para fora. Os quatro minutos de acréscimo não foram suficientes para o Tigre empatar.