Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Covid-19: Criciúma diminui em 37 o número de internações em uma semana

Mesmo com números apresentando melhoras, diretores de hospitais alertam para a manutenção dos protocolos
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 22/07/2021 - 18:29Atualizado em 22/07/2021 - 18:30
Foto: Arquivo/4oito
Foto: Arquivo/4oito

Em uma semana, Criciúma saiu das 116 internações de pacientes em tratamento para Covid-19 para 79, uma diminuição de 37.  O boletim desta quinta-feira, 22, ainda mostra que, destes 79, 40 são de Criciúma e 39 de outros municípios. 

O presidente da Unimed, Leandro Avany Nunes, revela que na unidade, por exemplo, há oito pacientes na UTI e dez na unidade de internação. “Isso nos deixa tranquilos e nos dá alegria em falar que hoje é o menor índice de ocupação desde novembro. Estamos com uma UTI aberta e as outras permanecem montadas. O volume de atendimentos é menor e a positividade dos exames também. Antes eram 45% dos testes positivados, hoje de 15% a 20%. Estamos nos encaminhando para o fim disso”, fala.

O Hospital São José também apresenta queda, conforme o diretor Raphael Elias Farias. “Nas últimas semanas registramos queda no número de interações. É uma alegria para a gente, já que nos últimos meses tivemos grande alta”, diz.

Atualmente, a ocupação está em 35% de ocupação. “Dos 40 leitos, 30 pacientes internados, nos dá alegria porque temos leitos disponíveis e não há mais filas. vimos os casos diminuindo frente ao momento que passamos de grande apreensão, mas não é momento de abaixar a guarda”, salienta.

Vacinação: a grande responsável

Tanto para Leandro quanto para Raphael, a vacinação contra a Covid-19 é a grande responsável pela melhora dos número. “A vacinação tem 100% de participação nisso. Mesmo que muitos receberam só a primeira dose, já foi a quantidade integrada à vacina faz a diferença daqui pra frente” cita.

Já o diretor do Hospital São José, percebe esta participação na diminuição de idosos internados. “A vacinação teve impacto porque antes vimos que eram mais os idosos, e hoje a maioria é de 30 a 50 anos, o que mostra que a vacinação é eficaz. Mas mesmo vacinados, temos pacientes com maior idade internados”, pontua.