Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Como os músicos estão se virando na quarentena

Neguinho, Jorge Fidelix, Neto Sommariva e da dupla Bruninho e Shipe estiveram no Avesso desta terça, contando as experiências do isolamento
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 31/03/2020 - 18:30Atualizado em 31/03/2020 - 18:32

A quarentena fez com que muitas pessoas ficassem impossibilitadas de trabalhar e exercer as suas próprias profissões. Enquanto alguns fazem home office, outros aguardam ansiosamente a pandemia passar para poder voltar aos palcos e a trabalhar rodeado de centenas de pessoas. Para falar sobre como é ser um músico em confinamento, o programa Do Avesso desta terça-feira, 31, contou a com presença dos músicos Neguinho, Jorge Fidelix, Neto Sommariva e da dupla Bruninho e Shipe.

Estar sozinho consigo mesmo pode ser um momento propício para realizar novas composições. Esse foi o caso de Jorge Fidelix, que afirma já ter composto algumas músicas no período de quarentena. Já Neto Sommariva destaca que, apesar de ser um momento cabível para novas canções, estas acabam sendo um pouco mais tristes.

“Tentei escrever algo e, de fato, não foi uma letra muito feliz. Não é uma mensagem mais pra cima, até porque o momento em que vivemos não nos permite isso. Esse momento tem feito a gente ver o que precisávamos melhorar e essas coisas começam a aflorar em nós, assim como os sentimentos que não parávamos para lidar no corrido dia-a-dia”, comentou Neto.

O cancelamento de shows também é algo inevitável para todos os artistas. Bruninho e Shipe, por exemplo, terão cerca de 80 shows cancelados se somados os próximos dois meses. Neguinho, apenas em abril, contava com 28 eventos marcados - todos cancelados ou adiados. 

“O problema é que não tem uma esperança de quando irá voltar. Quando voltar, nós que dependemos da música, não teremos certeza de que será legal tocar em casas de show, pubs e por aí vai, porque o pessoal vai ficar com medo. Se liberar em junho, as pessoas ainda não vão sair logo de cara”, disse Neguinho.

Para muitos dos músicos, o recente e grande show de Gusttavo Lima, feito através de uma live nas redes sociais, serviu como uma inspiração. O show que durou 5h foi puro entretenimento e contou com milhares e milhares de pessoas assistindo - uma boa ideia para quem é músico e não quer ficar “parado” no período de quarentena. Bruninho e Shipe já tem um show em live mercado para sexta-feira, assim como Neguinho, que pretende antecipar o Só Modão com sua antiga dupla, Emmanuel, através das redes sociais.

Por fim, além de ser um ato de ajuda e prevenção à saúde, a quarentena também pode ser um momento para que as pessoas passem a se dedicar a si mesmos - e para os músicos isso não é diferente. “Eu sempre me ocupei muito, deixava de cuidar de mim mesmo e procurava abraçar tudo. Esse momento é importante para olhar para dentro de si e aproveitar o tempo que estamos. Se pedíamos tempo para fazer alguma coisa, agora a gente tem”, concluiu Neto.