Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Christofer comemora estreia no time principal e projeta: "tenho que correr dobrado"

Volante substituiu Eduardo na Ressacada, apresentou bom desempenho e foca no trabalho para se manter no grupo principal
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 10/02/2020 - 17:07Atualizado em 10/02/2020 - 17:09
Foto: Celso da Luz / Criciúma EC
Foto: Celso da Luz / Criciúma EC

Uma estreia que poderia deixar qualquer um nervoso: equipe vindo de uma goleada sofrida na Copa do Brasil por 4 a 1 contra o Santo André, uma pressão para voltar a vencer no Catarinense e afastar o perigo de beirar a zona de rebaixamento. Nada disso abateu Christofer, escolhido por Cavalo para ser o substituto de Eduardo com a camisa 5 do Tigre na Ressacada, contra o Avaí.

O jovem de 19 anos é mais um da base do Tigre a receber oportunidades na equipe principal. E a estreia não poderia ter sido melhor, com a vitória por 1 a 0 em Florianópolis. Christofer concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira, 10, e ressaltou a confiança passada pela comissão técnica, em contraponto à surpresa por ser escalado no time titular desde o começo da partida.

"Não esperava pintar no time titular, mas a comissão técnica me passou muita confiança. Foram até o vestiário, falaram para eu ter tranquilidade e que confiavam bastante em mim. Pude retribuir essa confiança dentro de campo", afirmou Christofer, que recebeu do treinador a espinhosa missão de marcar o camisa 10 avaiano.

"O Cavalo me passou tranquilidade, como o tempo foi passando ele disse para eu dar uma colada no Valdívia e limitar o ataque deles", acrescentou Christofer.

O volante está no Criciúma desde 2017, quando jogava futsal no interior paulista e passou em uma peneira do Tigre. Chegou para o time sub-17, foi campeão Catarinense da categoria e trilhou o caminho para o time principal, sendo coroado com a titularidade na Ressacada. O jogo pelo profissional foi comemorado pelo atleta. 

"É um sonho realizado. Desde pequeno, quando eu jogava bola na rua, sonhava com esse momento. Não poderia ter estreia melhor, com uma vitória em um clássico fora de casa", ressalta Christofer. O volante já tem uma estratégia para se consolidar no grupo principal: trabalho. 

"Tenho que correr dobrado, repassar a confiança que a comissão técnica e atletas passaram para mim. Como fiz no primeiro jogo tenho que fazer de novo, dobrado, até se firmar e fazer história dentro do clube", afirma.