Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Cerca de 230 venezuelanos devem chegar em Santa Catarina nesta quinta-feira

São 56 famílias que estão vivendo em situação precária no Norte do Brasil
Redação
Por Redação Criciúma - SC, 10/10/2018 - 14:50Atualizado em 10/10/2018 - 16:19
(foto: reprodução)
(foto: reprodução)

A Igreja Evangélica Embaixada com sede me Balneário Camboriú se dispôs a receber  56 famílias de venezuelanos que estão em situação crítica no Norte do País.  Os 230 imigrantes deverão chegar ao município nesta quinta-feira (11), às 17h e 30, na sede da Embaixada e depois serão encaminhados para outras cidades onde a igreja tem unidades.

A instituição não está contando com a ajuda financeira do Ministério do Desenvolvimento Social e sim da arrecadação e de doações dos membros da igreja. O Pastor Michael Aboud foi à Roraima conhecer  a realidade dos imigrantes e iniciou a movimentação para recebê-los há cerca de um mês.  

Cada unidade da igreja locou e mobiliou moradias (casas, apartamentos e pousadas) onde essas famílias serão instaladas. Serão três em Navegantes;  três em apartamentos de Itajai; seis em casas, uma em apartamento e outra em pousada de Balneário Camboriú; duas casas em Camboriú; uma casa em Itapema; e uma casa em Palhoça. Também foram arrecadados alimentos, produtos de higiene e roupas para suprir as necessidades por pelo menos 90 dias.

A Instituição procurou a Secretaria de Estado da Assitência Social, para que nossos equipamentos estejam disponíveis para atender essas famílias no caso de alguma necessidade. Uma representante da SST acompanhou as equipes da igreja em visitas às moradias para conhecer o projeto e em quais condições as famílias serão instaladas. A secretária Romanna Remor estará presente na chegada dos Imigrantes na quinta feira.

Cada família será recebida por um casal de padrinhos da Igreja chamados “Anjos”, que terão a responsabilidade de os encaminhar ao mercado de trabalho e ajudar nas demais necessidades. Eles já fizeram contatos com empresas que tem vagas disponíveis e assim que as famílias estiverem instaladas serão levadas para fazer entrevistas. As vagas não são garantidas, mas existem grandes chances de que muitos deles sejam inseridos no mercado de trabalho, com carteiras assinadas. Existe também a parceria com o Sine para auxiliar nessa questão.

Tags: venezuela