Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Centenas de pessoas saem em carreata contra Bolsonaro

Manifestação deste sábado em Criciúma foi organizada por frentes populares e centrais sindicais
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma, SC, 23/01/2021 - 21:07Atualizado em 23/01/2021 - 21:15
Foto: Pedro Antônio Brunel / Divulgação
Foto: Pedro Antônio Brunel / Divulgação

Centenas de pessoas manifestaram-se em Criciúma na tarde deste sábado, 23, contra o presidente Jair Bolsonaro e a favor das vacinas contra a Covid-19. O movimento foi organizado pela Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo e das centrais sindicais. Foi feita uma carreata, com mais de 50 veículos, saindo do bairro Santa Luzia e percorrendo ruas até o Parque das Nações.

"Nesta semana foram marcadas no Brasil inteiro carreatas pelo Fora Bolsonaro, manutenção do auxílio emergencial e pela vacinação, o mesmo se aplicou aqui na cidade, após muitas pessoas terem entrado em contato conosco, perguntando se aconteceria algum ato na cidade", disse um dos organizadores da carreata, integrante da Frente Brasil Popular, Pedro Brunel.

As principais pautas contra Bolsonaro levantadas pelos manifestantes foram o vacilo do governo federal em iniciar a vacinação em massa, com a aquisição de poucas doses inicialmente, os posicionamentos do presidente colocando em dúvida a importância e eficácia das vacinas e a possibilidade de encerramento do auxílio emergencial. "A presença do público nos deixou bastante satisfeitos. Vieram pessoas de toda a região para participar", avaliou o psicólogo Júlio Bittencourt, participante do ato. 

"A gente entende que o Ministério da Saúde e o Governo Federal estão atuando de maneira inepta, somos o último país a ter acesso à vacina. Foram mal negociadas e distribuídas. O fato de o Bolsonaro ter mais de 50 pedidos de impeachment na Câmara, incontáveis crimes de responsabilidade. Para a gente, essa pauta (fora Bolsonaro) é fundamental. Foi um grito de indignação", acrescentou. 

Criciúma foi um dos principais redutos políticos de Bolsonaro em 2018, quando teve mais de 80% dos votos no segundo turno. Na avaliação de Bittencourt, no entanto, esse apoio ao presidente vem perdendo força na cidade.

"Recebemos muitas manifestações espontâneas de apoio. O período de pandemia e a inépcia do governo têm trazido indignação às pessoas. O preço do supermercado, da gasolina, a falta de campanha para vacinação em massa, os vários problemas que o governo acaba atrapalhando, fez com que muita gente demonstrasse apoio. 

Participaram do ato, também, os partidos políticos de oposição a Jair Bolsonaro: PSTU, PSOL, PT, PCdoB, PCB