Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Calendário letivo fragmentado gera dúvidas

Aulas com início diferente nas diferentes redes. Enquanto isso, tem escola municipal em obras
Por Bruna Borges Criciúma, 05/02/2019 - 08:34
Fotos: Daniel Búrigo / A Tribuna
Fotos: Daniel Búrigo / A Tribuna

O período de férias escolares está chegando ao fim e, como esse ano o Carnaval será em março, as escolas não irão esperar passar as festas para começar o ano letivo. Em Criciúma, tem escola particular que já está em aulas, já na rede pública as datas são outras. Essa diferença tem confundido alguns pais de alunos.

“Eu e mais algumas mães que tivemos os nossos filhos finalizando o CEI Afasc em 2018 e nesse ano ingressando, então, no Município, todas estamos sem saber qual a data correta do início das aulas, porque em lugar algum tem isso escrito”, comenta Maria Cristina Ronsani, mãe de aluno. 

Ela conta que tentou buscar a informação, mas não conseguiu ter a certeza a respeito do dia do início do ano letivo. “Semana passada eu liguei para a Secretaria Municipal de Educação e eles disseram que o início das aulas seria dia 4 de fevereiro. Depois, eu liguei lá de novo e a telefonista disse que é dia 19 de fevereiro. Teve uma mãe que disse que recebeu informação de que é dia 4 de março, sendo que o calendário municipal tem que estar equiparado ao calendário estadual, que é 11 de fevereiro”, pontua Maria Cristina. 

Quem esclarece o tema é a própria secretária municipal de Educação de Criciúma, Roseli de Lucca. “Todos os alunos da Rede Municipal de Ensino de Criciúma começam as aulas no dia 19 de fevereiro. Essa data foi definida entre outubro e novembro, junto aos professores, e desde o ano passado todas as escolas já estavam cientes da data”, afirma Roseli. 
“Os pais precisam entender que de zero a três anos de idade, que são as crianças atendidas pelo CEI Afasc, o foco é assistencialista, o foco é na necessidade do pai e da mãe que trabalham”, comenta. 

“Mas, a partir dos quatro anos de idade, já é Educação Básica, com regras definidas pelo Ministério da Educação. O aluno precisa ter 200 dias letivos e o nosso foco é no aluno e no aprendizado. Escola é local de transformação, de educação formal. A nossa função é educar o aluno”, complementa. 

Autonomia municipal

Sobre o fato de o calendário municipal ser diferente do estadual, a secretária explica que cada município tem autonomia para decidir o início do seu ano letivo e que a localização das cidades é um diferencial no momento de concluir o calendário escolar. 

“Decidimos começar um pouco mais tarde, até porque ainda está muito quente e nós estamos em uma região litorânea. Inclusive, o próprio prefeito de Balneário Rincão fez o pedido para as cidades da região para que começassem suas aulas mais tarde, ampliando o tempo de veraneio”, conta Roseli.

“E os municípios da região chegaram a um consenso, quase todos começam suas aulas nos dias 18 e 19. Já em julho, diferente do Estado, nós temos apenas uma semana de férias. Nas escolas estaduais eles têm duas semanas de férias”, argumenta. 

Uma terça-feira

O dia 19, quando aproximadamente 20 mil alunos da rede municipal voltam às aulas em Criciúma, é uma terça-feira. “Nós decidimos pela terça porque no dia 15 vamos fazer a chamada dos professores ACTs (Admitidos em Caráter Temporário) e eles terão, então, a segunda-feira para visitar as escolas, conhecer suas salas de aula. Será um dia de organização para as escolas”, comenta Roseli. 

Obras em ritmo acelerado

Para receber os estudantes em pouco menos de uma semana, algumas unidades escolares passam por reformas e ampliações. Uma delas é a Escola Luiz Lazzarin, no Bairro Vila Isabel, distrito de Rio Maina. 

Até 2018 o colégio pertencia ao Governo do Estado, mas foi municipalizado e em 2019 já receberá os estudantes do Município, com aulas na Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II. A Prefeitura recebeu as chaves da unidade no dia 2 de janeiro e, desde então, trabalhadores correm contra o tempo para deixar tudo pronto.

“Nós temos quatro empresas trabalhando aqui, foram quatro licitações diferentes. Estamos trocando todo o telhado e todas as portas e janelas, depois vai vir outra empresa para fazer a parte de pintura. Também estamos refazendo as instalações elétricas”, elenca Roseli. A escola ainda vai receber durante o ano letivo novos banheiros para a Educação Infantil, um ginásio, um parque infantil e outras melhorias. 

Em seu primeiro ano de atividades municipais, a Luiz Lazzarin já conta com 490 alunos matriculados e ainda tem vagas em todas as turmas. “Essa escola vai chegar a 700 alunos”, projeta a secretária.

Calendário de início das aulas – Criciúma

 

Rede municipal – 19 de fevereiro

Rede estadual – 11 de fevereiro

CEIs Afasc – 7 de fevereiro

Unesc (Universidade) – 21 de fevereiro para calouros e 25 de fevereiro para os demais

Colégio Unesc – 11 de fevereiro

Satc – 18 de fevereiro

Esucri (Universidade) – 11 de fevereiro para calouros EAD, 18 de fevereiro para veteranos EAD e 25 de fevereiro para os demais

Colégio Universitário – 11 de fevereiro

Colégio São Bento – 11 de fevereiro

Colégio Michel – 6 de fevereiro para os alunos do período integral da Educação Infantil até a 5ª série e para o maternal (período de adaptação). Dia 11 de fevereiro para os demais.

Colégio Marista – 4 de fevereiro para o Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) e Ensino Médio; 6 de fevereiro para Educação Infantil (1, 2 e 3) e Ensino Fundamental (1º, 4º e 5º ano); dia 7 de fevereiro para Educação Infantil (4 e 5) e Ensino Fundamental (2º e 3º ano)