Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Caíque quer estar no time de Kleina

Jogador ressalta a oportunidade de trabalhar com o técnico e tem a esperança de dias melhores
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 15/03/2019 - 09:43
Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna
Foto: Daniel Búrigo/A Tribuna

A vinda de Gilson Kleina dá novamente um ar de confiança para a torcida do Criciúma. A chegada do treinador tem sido vista com bons olhos pelos carvoeiros, alimentando a esperança de dias melhores. O mesmo sentimento tem reinado no Centro de Treinamentos Antenor Angeloni. “Uma semana importante de mudanças. As pessoas que estão chegando no clube, estão mostrando que querem trabalhar”, analisou o lateral-esquerdo Caíque, comentando a vinda do técnico e do diretor executivo de futebol João Carlos Maringá.

Titular nos último jogo de Doriva e também com o interino Willsão, o lateral-esquerdo sabe que o acerto com um novo comandante pode gerar mudanças na equipe. “Gera expectativa em todo o grupo. Alguns jogadores que estavam sendo aproveitados vão querer mostrar trabalho. Isso é normal. Competitividade do grupo está grande e vamos mostrar isso para ele”, assegurou.

Ele tem sido utilizado de forma improvisada. Apesar de ser contratado para ser o reserva de Marlon pelo lado esquerdo, a sua função, ultimamente, tem sido no meio-campo. “Eu sou lateral-esquerdo, mas independentemente de onde eu for jogar, eu quero ajudar o Criciúma”, apontou.

Com Gilson Kleina, deve vir também novos reforços. É o que está sendo projetado pela diretoria. Questionado sobre uma nova concorrência, Caíque foi tranquilo e disse não ver problemas. “Não interessa se eu vou continuar disputando a vaga no meio-campo ou não. Quero é contribuir para tirar o time dessa situação”, destacou.

Foco total no Tubarão

O discurso de Maringá tem sido enfático. O Tigre precisaria fazer uma campanha impecável até o fim do Estadual se quiser se classificar para as semifinais. Apesar da situação complicada no Campeonato Catarinense, a ideia é não deixar de lado a competição, mesmo que as pretensões não sejam lá tão ambiciosas.

Os jogadores possuem o mesmo pensamento. E o próprio Gilson Kleina pode colaborar nisso. “O Gilson Kleina é um cara conhecido nacionalmente. Vai trazer o trabalho dele para alguns jogadores jovens como eu. Querendo ou não é importante para a gente treinar com um cara experiente que pode gerar grandes frutos para a gente no futuro”, evidenciou.

O desafio de uma recuperação já começa no domingo, diante do Atlético Tubarão. “Temos um jogo decisivo no domingo e não mudamos o foco”, disse Caíque. “Viemos conversando para continuar trabalhando firme. Infelizmente não estamos em uma situação boa e vamos sair disso. Vai ser um jogo importante. Independentemente se o Tubarão está abaixo da gente ou não”, completou.

Tags: criciuma caique