Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Cada vez menos pessoas usando máscara em Criciúma

Secretário Acélio afirma que adesão vem caindo nos últimos 30 dias
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 26/10/2020 - 16:49Atualizado em 26/10/2020 - 17:40
Foto: Paulo Monteiro / 4oito
Foto: Paulo Monteiro / 4oito

Por mais que a quantidade de óbitos e casos diários de contaminados pelo coronavírus tenha caído em Criciúma no último mês, a pandemia ainda persiste. Uma das maneiras mais difundidas de prevenção à doença segue sendo o uso de máscaras. Em Criciúma, por mais que o uso não seja mais passíve de multa, ainda é obrigatório - e a adesão continua em queda.

Para a comerciante Adriana Felipe Demétrio, cada vez menos pessoas estão usando máscara ao passarem pelo Centro de Criciúma. Adriana trabalha como vendedora de produtos artesanais na à Praça Nereu Ramos, de segunda à sábado, e afirma ter percebido uma diminuição na quantidade de pessoas protegidas.

“De um mês para cá vejo que cresceu o número de pessoas que não usam a máscara aqui no Eentro. A grande maioria dessas pessoas são idosos, justamente o grupo de risco, que andam com a máscara no queixo. Aqui eu só atendo quem está de máscara, o problema é que quando a gente pede para alguém colocar, muitos acabam sendo grossos”, declarou.

A comerciante ainda afirma que cerca de 5 mil pessoas passam por ali todos os dias, na região central. “Dessas cinco mil, bem mais de 200 costumam andar sem máscara ou com máscara no queixo”, disse. “Muitas andam sem e só colocam mesmo para entrar nos estabelecimentos. Saindo dali, já tiram novamente”, afirmou.

Vendedor de pipoca na praça há mais de 30 anos, Vanderlei Inácio afirma que não percebeu tanta queda em relação ao uso da máscara. “Enquanto o prefeito decretar que temos que usar, nós temos que usar. Vejo praticamente todo mundo de máscara por aqui, cerca de 99%”, afirmou.

A reportagem do 4oito percorreu o entorno da Praça Nereu na tarde desta segunda-feira, 26, para perceber como anda a adesão de máscaras por parte da população. De cerca de 150 pessoas avistadas, somente 11 não estavam usando corretamente. Destas, seis andavam pelo centro com a máscara no queixo enquanto comiam ou bebiam algo, enquanto as outras cinco tinham a máscara em mãos. O recorte, no entanto, não reflete completamente a realidade do município nas últimas semanas.

Principais pontos de concentração pública na cidade nos finais de semana, os parques foram cenário para inúmeras pessoas sem o uso do item. No Parque Centenário Altair Guidi, por exemplo, entre as muitas pessoas que passaram pelo espaço, aproveitando momentos de lazer no sábado e domingo, havia grupos numerosos de populares sem máscara, embora a maioria ainda esteja usando o item.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Acélio Casagrande, há de fato um nível de diminuição no número de pessoas usando máscara por Criciúma. “É perceptível nas ruas e isso nos preocupa bastante sabe, porque a gente está num patamar tão bom, Criciúma e região saindo do laranja, e as pessoas pensam que a pandemia já passou. Isso nos preocupa porque daqui a pouco pode ocorrer uma crescente novamente e ter algumas situações mais difíceis”, pontuou o secretário.

Acélio destaca que essa diminuição vem ocorrendo justamente nos últimos 30 dias, quando os números da pandemia começaram a dar uma abaixada considerável. Apesar disso, o secretário reforça um apelo para que a população continue seguindo as medidas. É um pedido para as pessoas que pensam que a pandemia acabou, que tenham a consciência de que o coronavírus ainda não passou e existe na nossa vida. Outras regiões do mundo já estão fazendo o lockdown de novo, e regiões do nosso estado mesmo estão com dificuldades em leitos de UTI. Não é porque estamos numa situação boa que o vírus não está mais circulando”, declarou.