Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Banco de Leite Humano de Criciúma precisa de doações 

Desde 2018, o setor do Hospital Materno-Infantil Santa Catarina recebe doações
Vitor Netto
Por Vitor Netto Criciúma - SC, 21/11/2020 - 14:52Atualizado em 21/11/2020 - 15:01
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 Criado em 2018, o Banco de Leite Humano Dr. Dino Gorini do Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (HMISC) está mais uma vez precisando abastecer o seu estoque com leite humano. Agora na época de verão, a quantidade de doações diminui e é mais uma vez que o banco quase esvazia as suas reservas.

Conforme a nutricionista e coordenadora do Banco de Leite, Tamilis Borges, a doação vem principalmente de mães que produzem leite em excesso. "É normal que no começo da amamentação as mães tenham maior quantidade de leite e depois quando o bebê estabelece a quantidade de acordo com o consumo do bebê", explicou ao programa Ponto a Ponto da Rádio Som Maior. 

Tamilis explica que a o essencial é manter uma lista de mães doadoras que perdure mais tempo. "A gente precisa de mais doadoras e que seja uma doação contínua. As mães não permanecem a longo prazo, ficam dois ou três meses e depois desistem. Então a gente precisa de mais doadoras para a gente manter o banco funcionando", comentou. As doações podem ser realizadas no hospital ou na casa da própria pessoa. 

Baixa durante a pandemia e o verão

Agora durante a pandemia, o número dedoações baixou, o que fez, mais uma vez, necessitar a realização de campanhas para colher mais leite. "O banco de leite antes ficava mais aberto e as mães conheciam melhor. Hoje com a pandemia, as pessoas evitam de sair de casa e a divulgação do Banco de Leite fica menor", afirmou. 

Durante o verão também ocorre uma baixa no número de doações. "Geralmente o processo de doação é maior no inverno, agora no verão muitas mães estão viajando ou vão para a praia e isso gera uma queda na quantidade de doações", completou. 

Os pré-requisitos

Para doar, basta a mãe que tenha leite ser saudável, coletar exame de sangue, não fumar, não consumir bebida alcóolica e nem tomar medicamentos que interfiram com a produção de leite. 

Para mais informações ou realizar doações, o interessado pode entrar em contato no número (48) 3445-8780.