Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

“As pessoas não devem de maneira nenhuma deixar de se vacinar em função de efeitos colaterais”

Pneumologista reforça a importância da imunização contra a Covid-19 em fase crítica vivida no Brasil
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC, 09/06/2021 - 08:38Atualizado em 09/06/2021 - 12:06
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A imunização contra a Covid-19 em Santa Catarina avança, a passos não tão largos, com três tipos de vacinas: Coronavac, AstraZeneca e Pfizer. No entanto, muitas pessoas estão se recusando a tomar a vacina de Oxford por conta das reações quase que “gripais” que vêm sendo registradas após a aplicação da primeira dose, o que acende um sinal alerta nas autoridades de saúde.

“O benefício que a pessoa tem sendo vacinada é imensamente maior do que um efeito colateral, que é ocasional e facilmente controlado. As pessoas não devem de maneira nenhuma deixar de se vacinar em função de efeitos colaterais que acontecem raramente. A vacina é segura”, declarou o pneumologista Renato Matos.

Em Balneário Camboriú, há registros de pessoas que estão buscando as unidades de saúde querendo ser vacinadas apenas com a vacina da Pfizer. Isso por conta do receio das reações causadas pela AstraZeneca, comum também na aplicação de outros tipos de vacinas.

“A vacina da AstraZeneca está sendo utilizada no mundo inteiro, liberada pelas grandes agências de regulação de medicamentos. Na Europa, inclusive, é muito utilizada. As pessoas que fazem a vacina têm uma sensação como se fosse gripe, dor no corpo, um pouco de febre. Mas é algo muito passageiro, em 24 horas, ou as vezes só o uso de analgésico, já cede”, ressaltou.

O pneumologista reforça ainda que a vacinação contra a Covid-19 é a única forma de melhorar o cenário da pandemia no Brasil e no mundo.