Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Aprovada a tarifa social de água no residencial Carmel

Os gastos futuros serão calculados pelo valor de R$ 8,40 e o valor da dívida também será readequado
Vitor Netto
Por Vitor Netto Criciúma - SC, 13/12/2019 - 16:33Atualizado em 13/12/2019 - 16:38
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A novela envolvendo a Casan e o residencial Carmel teve um episódio importante nesta sexta-feira, 13, isso porque foi aprovada a inclusão do condomínio na taxa da tarifa social. Uma reunião envolvendo a Casan, o Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental (Cisam), vereadores e representantes do Carmel ocorreu nesta manhã, e os próximos passos agora são de encaminhar os dados do condomínio para que seja efetuado o processo. Com a inclusão, os moradores passarão a pagar o valor de R$ 8,40 por 10m³ de água consumida, e não R$ 44 que era o valor cobrado anterior. A medida se encaixa tanto nas faturas futuras como na readequação do valor da dívida. 

O pedido da inclusão foi encaminhado no início desta semana pelos vereadores Paulo Ferrarezi (MDB) e Júlio Kaminski (PSDB) para o Cisam. "Solicitamos que enquadrassem os moradores na tarifa social para abaixar os valores e também solicitamos um recálculo da dívida", explica Ferrarezi. "Agora será recolhido os dados dos moradores e do condomínio para que a o processo seja encaminhado", completa. 

Conforme o síndico do condomínio, Mateus da Rosa, a Casan e o Cisam estudarão formas de readequar a dívida, que chega a R$ 2,4 milhões. "Agora eles vão dar o encaminhamento do processo e recalcular usando o valor de R$ 8,40 como base. Também será estudado por eles como fazer a cobrança, dividindo o valor nas faturas futuras", explica. 

Outro caso que o condomínio estuda é a possibilidade de individualizar a cobrança. "Cada apartamento tem um relógio para a leitura, porém a Casan só realiza a leitura de um geral. Então outro ponto que estudamos é a do abastecimento e leitura individualizado", comenta Rosa. Para que isso ocorra, necessita de uma limitar expedida pelo juiz aprovando a decisão. 

Desde a metade de novembro, os moradores estavam sem água, agora com esse acordo a expectativa é de que na próxima quarta-feira, 18, o abastecimento no condomínio seja restabelecido.