Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Andrea assume com missão de fortalecer o comércio

Nova presidente da CDL fala sobre aproximação com os bairros e a realização da Megaliquidação
Por Bruna Borges Criciúma, 10/01/2019 - 08:42
Daniel Búrigo / A Tribuna
Daniel Búrigo / A Tribuna

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Criciúma está sob nova direção desde o dia 1º de janeiro. Após quatro anos à frente da entidade, Gelson Philippi dá lugar à Andrea Gazola Salvalaggio. Proprietária da Dedal de Ouro, do Shopping Della, e da franquia Lupo, do Nações Shopping, Andrea vem de uma família de comerciantes. Seus pais fundaram a loja há 34 anos e há 28 é ela que administra a unidade no Centro de Criciúma. 

Uma posse festiva deve ser realizada em março, mas os trabalhos começaram desde já. Ela assume por dois anos, com possibilidade de renovar por mais dois. No último mandato, Andrea ocupou os cargos de vice-presidente de aperfeiçoamento e, mais recentemente, vice-presidente administrativo. O seu objetivo, relata, é usar sua experiência para deixar o comércio cada vez mais forte.

“Eu estava do lado do Gelson, entrei com ele na gestão da CDL e a gente começa a gostar, porque é um trabalho que eu gosto, é o que eu entendo, é o que eu sei fazer, que é o comércio”, comenta Andrea. “E é uma forma de poder melhorar o negócio da gente, a minha intenção é essa, é poder ajudar a melhorar o comércio”, complementa a comerciante. 

A primeira mulher

Fundado nos anos 1960, naquela época com o nome de Clube de Dirigentes Lojistas, a CDL Criciúma teve como seu primeiro presidente Antônio Caldeira Góes. De lá para cá, outros 20 nomes do comércio da cidade ocuparam o cargo mais alto dentro da entidade, todos eles homens. Andrea terá, então, a missão de ser a primeira mulher presidente da CDL criciumense.

“Tem essa novidade de ser mulher, não que eu tenha procurado por isso, aconteceu naturalmente. Eu sempre gostei mais de ficar nos bastidores do que tomar a frente, mas às vezes na vida a gente tem que tomar alguns desafios, às vezes as coisas acontecem e eu achei que eu não poderia deixar escapar”, conta.

Para ela, será importante ter finalmente uma mulher no comando da instituição, já que o comércio tem muitas representantes do sexo feminino. “Em função de a gente colocar filhos e família como prioridades, acaba não se envolvendo, mas é importante. Espero que com a minha entrada, outras mulheres se identifiquem, se espelhem e tenham coragem de assumir, porque as coisas só vão acontecendo se alguém se meter, não adianta colocar alguém na CDL que não viva aquilo, que não conheça o comércio”, declara.