Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Alouatta, de Treviso, recebe doação do Mizuno Uphill Marathon

Resultados do Projeto "Quem Ama Deixa Voar", fez com que a parceria fosse reeditada
Por Redação Treviso, SC, 03/09/2019 - 16:14
Divulgação
Divulgação

O Instituto Alouatta recebeu, pelo segundo ano consecutivo, a doação de recursos do evento Mizuno Uphill Marathon, realizado no último fim de semana na Serra do Rio do Rastro. O Instituto, que tem sede em Treviso, aplicou a doação de 2018 no projeto "Quem Ama Deixa Voar", atendendo 350 crianças de 7 aos 16 anos.

Segundo um dos fundadores do Instituto, Paulo Cadalora, a manutenção da parceria é fruto dos resultado obtidos no ano passado e da boa prestação de contas. "O projeto Quem Ama Deixa Voar engloba uma série de ações desenvolvidas junto a comunidade do município de Treviso. O objetivo é fomentar o turismo de natureza e a conservação de áreas naturais", afirma Paulo. A doação recebida em 2019 dobrou seu valor, e segundo a coordenação do Instituto Alouatta, servirá para ampliar o projeto gerando possibilidades geração de emprego e renda por meio do turismo de natureza, aliado a educação e conservação. 

Coordenado pelo Instituto Alouatta, o projeto ensaiou seus primeiros voos em 2015, por meio de uma oficina de observação de aves voltada às 200 crianças do ensino municipal. O primeiro resultado já apareceu com a eleição da ave símbolo de Treviso. "Não por acaso a ave eleita foi o trinca-ferro, pássaro mais caçado na região pelo seu belo canto", relata Paulo. Segundo ele, foi assim que nasceu o primeiro movimento para uma mudança. "Utilizando a melhor ferramenta, a 'educação'", pontua.

Histórico

Em 2016 foi organizado pelo Instituto Alouatta o primeiro seminário técnico para discutir o turismo de observação de aves na região, que reuniu especialistas locais e vindos outros estados. A discussão ganhou força com base no plano de manejo da reserva biológica do Aguaí que revela que 12% das aves brasileiras de um total de 1.919 espécies podem ser encontradas na região, somente em Treviso já foram registradas 241 espécies. Ainda em 2016 a oficina de observação de aves junto a escolha da ave símbolo de Treviso ganha o prêmio estadual Fritz Müller como melhor projeto de turismo ecológico de Santa Catarina.

No ano seguinte foi elaborada uma cartilha de educação ambiental parceria entre o instituto Alouatta e a prefeitura de Treviso, por meio da Fundação do Meio Ambiente (Funtrev) e da Secretaria de Educação de Treviso. O material foi distribuído a todos alunos do município.

Já em 2018 o projeto trás o primeiro curso destinado a observação de aves da região e reuni 12 alunos. Destes nove formaram o Clube de Observadores de Aves de Santa Catarina (OBA), que hoje já conta com 21 membros e já possui uma exposição itinerante de fotos de aves do sul catarinense. E nesse mesmo ano o projeto "Quem Ama Deixa Voar" através de parceria entre o Instituto Alouatta, grupo escoteiro Leão Baio, de Treviso, e a Polícia Militar Ambiental, iniciam a transformação de gaiolas apreendidas com aves silvestres em objetos de decoração aliando educação e conservação. A customização das gaiolas é acompanhada pela artesã Larissa Maciel, junto as crianças atendidas pelo projeto bem como o acompanhamento da coordenação do Instituto do Meio Ambiente (IMA) e da Reserva Biológica do Aguaí (REBIO).

O projeto vem sendo apresentado em diversos seminários e congressos nacionais, como Avistar Brasil, maior congresso de observação de aves do pais, realizado em São Paulo; e recentemente no Congresso Brasileiro de Turismo de Natureza, em Ilhabela, no litoral paulista.