Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Advogado acusa desembargador de cobrar propina durante julgamento

Foi um momento inusitado e difícil da minha vida profissional”, disse o advogado Ivo Carminatti que estava no local, durante o ocorrido
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 04/08/2017 - 08:38Atualizado em 04/08/2017 - 08:41

Na tarde desta quinta-feira (03), durante sustentação oral na 1ª Câmara Cível em Florianópolis, o advogado Felisberto Odilon Córdova acusou o desembargador Eduardo Gallo de cobrar propina de R$ 700mil para julgar favoravelmente aos interesses de seu cliente.

Na manhã desta sexta-feira (04), o advogado criciumense Ivo Carminatti, que esteve na sessão em questão e tentou retirar o advogado que estava alterado do tribunal, falou ao programa Adelor Lessa. Carminatti aguardava para fazer a sustentação de outro processo quando começou a confusão.

“Foi um momento inusitado e difícil da minha vida profissional. São 30 e tantos anos de advocacia e nunca vi isso. Confesso que trago uma lembrança que vai pro resto da vida. Os ânimos estavam exaltados lá”, contou Ivo.

O advogado entrou em ação quando viu que o desembargador deu voz de prisão ao advogado Eduardo Gallo.

“Senti que tinha que fazer alguma coisa.  Dr.Felisberto é uma referência, com mais de 50 anos na advocacia. Ele é um ícone catarinense. A voz de prisão deixou um sentimento de tristeza, consegui leva-lo para fora da sala com meus sócios”, explicou sobre a situação.

Ao final, Carminatti e outros colegas conversaram com Gallo que se acalmou e não foi preso. “Depois a sessão prosseguiu normalmente”, disse.

Outras polêmicas

Esta não é a primeira polêmica que o desembargador Eduardo Gallo se envolve. Em março deste ano, Gallo viralizou nas redes sociais através de um vídeo em que aparecia mostrando hematomas pelo corpo que, segundo ele, teriam sido feitos pela ex-companheira Liliane Mello.