Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“A usina de asfalto se paga em dois meses”

Prefeitos dos municípios do consórcio do lixo se reúnem em Urussanga para definir uso da usina de asfalto
Clara Floriano
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 07/06/2018 - 08:06Atualizado em 07/06/2018 - 09:28
(foto: Adelor Lessa/ 4oito)
(foto: Adelor Lessa/ 4oito)

Ontem à tarde, os prefeitos de sete municípios que fazem parte do consórcio do lixo da Região Carbonífera se reuniram em Urussanga para definir critérios de uso da Usina de Asfalto que foi comprada para uso coletivo. A Usina está instalada em frente à Prefeitura de Urussanga, mas deve mudar de endereço em breve.

“Ela vai ficar fixa. Ela é montada em uma carreta e pode ser removida, mas vai ser fixada em um bairro de Urussanga onde acontece o tratamento do lixo. Ali a gente vai produzir o asfalto e depois vamos transportá-lo para os municípios. Combinamos que vamos fazer uma semana por município. Então são sete municípios, vamos fazer um por semana e depois que acabar voltamos ao primeiro. Caso algum município não possa fazer, ele pode transferir essa semana para outro município. Ficamos agora de repassar o volume total do que cada município precisa neste ano para comprar os insumos. A gente estimula que a cada 60 dias um município terá asfalto”, contou o prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier.

Segundo Cancellier estime-se uma redução de 50% na tonelada do asfalto. “As prefeituras também vão ter vantagens na colocação das bases do asfalto. Estima-se uma redução de 70% no custo total, por isso que se motivou esse investimento na casa dos R$ 2 milhões de usina e dos equipamentos para o assentamento do asfalto. A usina se paga em dois meses. É uma economia muito grande”, revelou.