Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

A Série B ainda não acabou para o Tigre

Criciúma tem quatro desfalques, mas se vencer o Operário pode ficar apenas um ponto atrás do Londrina
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Ponta Grossa - PR, 05/11/2019 - 15:26
O artilheiro está de volta / Foto: Guilherme Hahn / Carvoeiro Doente / Especial
O artilheiro está de volta / Foto: Guilherme Hahn / Carvoeiro Doente / Especial

Um Tigre abalado por sete jogos sem vencer e quatro desfalques tem, na noite desta terça-feira, 5, mais uma chance de aproximar-se da zona de permanência nesta Série B. Pela 33ª rodada, o confronto é contra o Operário, em Ponta Grossa, a partir das 20h30min, com cobertura do Timaço da Rádio Som Maior.

As últimas decisões deram erradas para o Criciúma, mas o clube permanece com chances de escapar do rebaixamento. Na 18ª colocação, está quatro pontos atrás do Londrina, primeiro fora do Z-4. Uma vitória em solo paranaense pode reacender a esperança na torcida carvoeira.

Não bastando a fase dentro de campo, as notícias de bastidores também não empolgam. Cavalo terá quatro desfalques importantes para a partida. Luiz, lesionado, Wesley e Foguinho, suspensos, e Andrew, desgastado fisicamente, estão fora do jogo desta noite.

Sem a espinha dorsal no meio-campo, o técnico pode apostar em três volantes de contenção e o retorno do artilheiro no ataque para tentar surpreender o terceiro melhor mandante da competição. Eduardo, Jean Mangabeira e Liel podem ir a campo, com Léo Gamalho ao lado de Vinícius no ataque.

O engate entre o meio e o ataque deve ficar a cargo do camisa 10, Daniel Costa. Caso opte por um esquema mais ofensivo, Cavalo tem à disposição Reis, Reinaldo e Lukinha, que podem entrar no lugar de Mangabeira ou Liel. No gol, Paulo Gianezini deve ganhar a primeira chance como titular nesta Série B, já que Bruno Grassi está fora por lesão até o fim da temporada.

Operário vem como?

Com 45 pontos na tabela, o Operário, clube que veio da Série C em 2018, está praticamente livre do rebaixamento. Ocupando a 8ª colocação, a partida contra o Tigre pode ser o último suspiro de uma eventual luta pelo G-4

A sequência de cinco jogos sem perder não foi suficiente para colocar o Fantasma como sério postulante ao acesso: foram três empates, sendo o mais sentido na última rodada, em casa contra o Atlético Goianiense. Dessa forma, seis pontos permanecem como a distância entre os dois clubes – o Dragão é o 4º lugar, primeiro na zona de acesso.

Na avaliação do técnico Gerson Gusmão, que terá o desfalque do zagueiro Edson Borges, expulso contra o Atlético, o jogo contra o Tigre pode ser perigoso. “O Criciúma não vai pressionar tanto, vai esperar mais para sair no contra-ataque. Temos que trabalhar para enfrentar uma equipe que vai vir assim, que também tem seu perigo, tem qualidade, apesar da situação, e que precisa pontuar”, avaliou Gerson.

Dentro do Germano Krüger, o Operário conquistou 33 dos 45 pontos que tem na competição – é o terceiro melhor mandante, com 10 vitórias, três empates e três derrotas.

De olho na tabela

Diz a sabedoria popular que o jogo só acaba quando termina. O campeonato também. Por isso, o Tigre segue de olho na tabela. O empate em casa contra o São Bento foi uma ducha de água fria nas pretensões do clube em escapar da zona de rebaixamento, mas encurtou a distância para o Londrina, primeiro clube fora.

São quatro pontos de diferença: se vencer o Operário e o Londrina perder para o Atlético Goianiense, fora de casa, encurta para um. Aí, passa a secar o Figueirense, 17º colocado, com 33 pontos (dois a mais do que o Tigre), que enfrenta o Vila Nova em casa.

Faltam seis jogos e o Tigre não pode mais nem pensar em vacilar. Com desfalques, esta terça-feira é mais uma decisão: é vencer ou vencer o Operário, às 20h30, no estádio Germano Krüger.

Ficha Técnica

Operário x Criciúma, válido pela 33ª rodada da Série B

Horário: 20h30

Local: estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa

Arbitragem: Rodrigo Batista Raposo, auxiliado por Lehi Sousa Silva e Leila Moreira da Cruz (DF)

Criciúma: Paulo Gianezini, Carlos Eduardo, Sandro, Derlan e Marlon; Eduardo, Jean Mangabeira, Liel e Daniel Costa; Vinícius e Léo Gamalho.

Operário: Rodrigo Viana; Maílton, Alisson, Rodrigo (Lázaro) e Peixoto; Jardel, Índio e Marcelo; Jean Carlo (Cléo Silva), Lucas Batatinha e Felipe Augusto.