Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

1991: O livro que conta a história da maior conquista do futebol catarinense

Uma entrevista com o jornalista Jota Éder, autor da obra
Marciano Bortolin
Por Marciano Bortolin Criciúma, SC, 19/06/2021 - 16:03
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em 2018, a três anos de completar os 30 anos da conquista da Copa do Brasil pelo Criciúma, o jornalista Jota Éder teve a ideia de escrever um livro para contar aquela façanha de um time do interior de Santa Catarina comandado por Luiz Felipe Scolari e com jogadores como Alexandre, Roberto Cavalo, Wilmar, Grizzo, Jairo Lenzi, entre tantos outros.

Éder se debruçou sobre o projeto logo após o lançamento de seu outro livro: “Carvoeiros”, que conta histórias de torcedores do Tigre captadas quando ele foi Repórter da Galera no Estádio Heriberto Hülse e também acompanhando o Criciúma Brasil afora.

A versão digital está disponível na amazon.com.br desde 2 de junho e a versão física deverá ser lançada em julho próximo. 

Na entrevista, Jota Éder fala como da intenção ao lançar a obra e todo o trabalho realizado nos últimos anos.

4oito: Como foi o processo de pesquisa?

Jota Éder: A pesquisa começou com a obtenção das fichas técnicas dos dez jogos, que foi o ponto de partida para a sequência do trabalho. O colega Antônio Colossi, também um pesquisador e colecionador de jornais, me forneceu muito material dos jornais antigos, contendo reportagens das partidas de 1991. Aí, comecei a ler os textos dos jornais e me inteirando de como as coisas ocorreram, com detalhes sobre cada jogo.

Entrevistei por telefone todos os campeões, de jogadores, comissão técnica e dirigentes. Também busquei saber como os torcedores e os radialistas e jornalistas da época acompanharam a campanha. A entrevista que posso destacar foi a que fiz com o Luiz Felipe Scolari, pela dificuldade de acessá-lo. Roberto Cavalo me ajudou na missão e consegui conversar com o técnico de 91 por meia hora. Ele não lembrava mais de alguns detalhes, inclusive de que estava suspenso nas finais. Mas me acrescentou outras informações importantes. Os atletas também revelaram histórias que ninguém ainda conhecia, fatos interessantes que ajudaram a montar o quebra-cabeças.

4oito: Qual o tamanho da importância da Copa do Brasil conquistada pelo Criciúma?

Jota Éder: Pelo que acompanhei a distância na época, e vendo depois outros clubes do interior conquistando a competição, o título da Copa do Brasil de 91 foi a maior façanha do Criciúma Esporte Clube em toda a sua história. A estrutura atual e o nível do futebol não permitem mais que um clube do interior sonhe com tal título. Por isso, entendo que os torcedores devem preservar esta memória e valorizá-la ao máximo, pois foi a "Copa do Mundo" do Tigre.

4oito: Quais as informações de bastidores da época você levantou em sua pesquisa?

Jota Éder: A possibilidade da demissão de Felipão, após o rebaixamento do time para a Série C, foi um momento marcante. O próprio técnico colocou o cargo à disposição, mas a diretoria não aceitou. Foi após um jogo contra o Juventude, pela Série B, e antes de iniciar as quartas-de-final contra o Goiás. Acompanhe no trecho a seguir: "Como ainda não estavam marcados os compromissos contra o Goiás, pelas quartas de final, o vice de futebol Amilton Guidi deu folga de três dias aos jogadores e à comissão técnica. Havia, inclusive, a possibilidade de nova troca de comando, após o rebaixamento. Se fosse o caso, a direção do Criciúma teria tempo para fazer a mudança.
─ O Felipão estava pensando em pedir demissão – relata o repórter Rogério Dimas, então na Rádio Eldorado.

A possibilidade é confirmada pelo vice de futebol Amilton Guidi, em entrevista para esta obra. Após o jogo do rebaixamento contra o Juventude, o dirigente já estava dentro do ônibus da delegação para retornar a Criciúma, quando foi procurado pelo próprio Felipão para uma conversa no pátio do estádio. O técnico iria passar a f…

De bastidor, em Goiânia, no jogo de ida contra o Goiás, nas quartas, após o jogo alguns atletas saíram e voltaram depois do horário combinado ao hotel. Felipão queria mandá-los embora, ficou possesso. Mas a direção o acalmou e os atrasados, que eram titulares, seguiram no clube e na equipe.

4oito: E a versão física será lançada quando?

Jota Éder: Ainda estamos finalizando a questão de patrocínio, mas penso em fazer um lançamento na Loja Tigremaníacos. Um dia inteiro recebendo os torcedores, concedendo autógrafos, enfim... Já encaminhei esse assunto com a gerente da loja e deveremos fazer isso. A data ainda será divulgada.

4oito: Para finalizar…

Jota Éder: Para finalizar: Fiz 48 entrevistas por telefone. Deu mais de 15 horas de gravações, em média cada um falou por cerca de 25 minutos. Uns deu 45, outros, 15, enfim... Lembrando: três atletas daquela equipe já faleceram. O atacante Adílson Gomes (1996), o goleiro Alexandre (2015) e o atacante Soares (2018).