Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Tava mais bobo que banda de rock...

que um palhaço do Circo Vostok
Mano Dal Ponte
Por Mano Dal Ponte 05/02/2019 - 20:33Atualizado em 05/02/2019 - 20:42

O Circo Vostok foi criado na Rússia em 1873 e mistura artistas de diversos lugares do mundo. O circo roda o Brasil com atrações como trapézio, malabares aéreos, globo da morte e os tradicionais palhaços. Além disso, o circo também tem personagens como o Homem Aranha, Super Boy, Elsa, Homem de Ferro e os Minions.

Em seus mais de 145 anos de história, o circo superou algumas crises pequenas e mudanças profundas. Um exemplo foi na década de 1970, quando o então proprietário Alexandre Vostok vislumbrou a saída dos problemas com uma proposta para apresentações em Las Vegas. O circo brasileiro foi desativado e parte da trupe incorporada ao espetáculo norte-americano. Quase quatro décadas depois, o Vostok retornou ao lar. O filho de Alexandre, Fabio, reabriu o picadeiro em 2011 com a proposta de resgatar as origens circenses da família.

O Programa do Avesso (05/02/2019) recebeu Fernando Fischer, diretor do circo, e Godoy Júnior para um papo sobre a história do Circo Vostok, os desafios e curiosidades da vida do picadeiro. 

Godoy Júnior saiu da casa dos pais, em São Joaquim, aos 14 anos. Após algumas semanas vagando sem destino, deparou-se com um circo que acabara de chegar à cidade. Ganhando R$ 35 por semana, ele uniu-se à trupe e nunca mais abandonou a vida circense. Já foi sonoplasta e homem pássaro. E por um ano foi proprietário do Circo Mundial. Mas após um temporal derrubar a lona do circo, pondo abaixo o sonho, Godoy pensou em desistir. Mas voltou para o picadeiro a convite do circo Vostok. Ele é locutor e globista.
 

Fischer, Pity Búrigo, Godoy e Mano Dal Ponte (Foto: Clara Floriano)


Confirma essa entrevista cheia de magia sobre o Circo Vostok: 
 

 

4oito

Deixe seu comentário