Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Conectando Futuros à sua Estratégia

Mapear os cenários em que a empresa está inserida e definir ações para se alcançar o futuro é fundamental. A ferramenta 3 Horizontes (Three Horizons), serve para alinhar as ações estratégicas da empresa para hoje, amanhã e futuro.
Claiton Pacheco Galdino
Por Claiton Pacheco Galdino 18/12/2018 - 09:00

Pensando na gestão da inovação, você conhece a abordagem dos Três Horizontes?

É provável que, com essa abordagem, você possa adotar uma perspectiva de inovação em todo o seu negócios.

Para fazer isso de forma eficaz, você precisa ter uma idéia de onde você está indo no futuro, e é por isso que eu acho que é uma ferramenta útil para vincular a inovação à estratégia.

O Horizonte 1 (H1) representa os principais negócios da empresa hoje . Por definição, estes tendem a ser bastante maduros, de modo que a administração deve desbloquear e realizar seu potencial remanescente antes de maximizar o valor dos negócios por meio de seu declínio. Este primeiro horizonte envolve implementar inovações que melhorem suas operações atuais

O Horizonte 2 (H2) inclui os atuais projetos em ascensão da empresa que, com o tempo, se tornarão novos negócios principais . Independentemente de sua forma, eles têm o potencial de mudar para a base de receita da empresa e substituir os atuais geradores de caixa.

O Horizonte 3 (H3) consiste em ideias de negócios e oportunidades nascentes que poderiam ser motores de crescimento futuros. Mas, com a incerteza em um nível sem precedentes no ambiente de negócios atual, até mesmo a melhor análise para determinar os resultados prováveis ​​deixará muitas incógnitas sobre esses negócios potenciais.

As inovações do Horizonte 3 são aquelas que mudarão a natureza de sua indústria .

Em geral, as inovações do H1 tendem a ser incrementais, enquanto H3 são mais frequentemente inovações radicais.

Existem várias ideias-chave que surgem quando se utiliza o modelo de três horizontes.

  • A primeira é que você deve ter esforços de inovação direcionados a todos os três horizontes de tempo .
  • A segunda questão é que o Horizonte 2 é incrivelmente difícil de administrar . As inovações da H2 parecem muito semelhantes aos seus produtos e serviços atuais. A tentação irresistível é usar as mesmas métricas para avaliar seu sucesso . Você tem que descobrir uma maneira de cercar os esforços de inovação H2.
  • O último ponto é que as pessoas frequentemente confundem o modelo dos três horizontes com uma ferramenta de planejamento - não é .
  • O uso do modelo de três horizontes altera a natureza dos dilemas entre visão e realidade, e a distinção entre inovações que servem para prolongar o status quo e aquelas que servem para aproximar a visão do terceiro horizonte da realidade (horizonte 2);

Então, em resumo, é uma idéia razoavelmente simples:

  • O Horizonte 1 é o seu negócio atual;
  • O Horizonte 2 parece ser o caminho natural e relacionado com seu negócio atual;
  • O Horizonte 3 sendo um negócio completamente novo e que em primeira análise pode até parecer que atrapalha os negócios existentes .

 

Eu gosto do modelo porque ele molda a inquietação exigida da inovação e força a busca e experimentação, mesmo que no papel, de novos negócios em H 2 e, principalmente, em H3 Prototipando diferentes formas de risco, bem como de oportunidades.

Para saber mais e ampliar o seu pensamento sobre isso, pesquise sobre " Three Horizons Framework " para ver diferentes postagens sobre este assunto.

4oito

Deixe seu comentário