Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Zagueiro Sandro deixa o Criciúma e vai para o Japão (ÁUDIO)

Time asiático pagará a multa do atleta, que ficou empolgado com a proposta
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 15/01/2020 - 16:59Atualizado em 15/01/2020 - 17:04
Foto: Arquivo / 4oito
Foto: Arquivo / 4oito

O Criciúma confirmou na tarde desta quarta-feira, 15, que o zagueiro Sandro foi vendido para um clube do futebol japonês. O defensor que permaneceria no Heriberto Hülse pela terceira temporada consecutiva recebeu uma proposta, com o clube se dispondo a pagar sua multa. 

“É uma coisa que surpreendeu a todos, foi passado para toda a diretoria, eles também foram pegos de surpresa. Nós viemos para renovar, sem cláusula nenhuma, queríamos colocar o Criciúma no lugar onde era para ele estar. Desde o meu primeiro dia aqui no Criciúma, dei o meu máximo”, disse o atleta.

A equipe é da segunda divisão do país. “Eu vim comunicar a nossa primeira perda, foi uma coisa que nos pegou de surpresa, é um atleta que é a cara do Criciúma. Não conseguimos manter ele aqui. Foi paga a multa que tinha e eu tenho certeza que a vida vai seguir”, citou o diretor executivo de futebol Evandro Guimarães.

A proposta chegou nesta semana e deixou Sandro animado com a possibilidade de dar um novo rumo na carreira. Ele diz que tem um carinho especial pela cidade e que continuará sendo um torcedor carvoeiro. “A identificação com a torcida, com a diretoria, não dá para dizer que não trouxe para o meu coração. Não estou dizendo para ganhar alguém, mas sim é algo que está no coração”, afirmou.

Em sua passagem pelo Criciúma, ele fez 11 gols, em 84 partidas. Será sua segunda ida para o exterior, entre 2009 e 2011 jogou no Kazma, do Kwait. “É uma oportunidade que aparece na carreira, agora com a idade pouco avançada, ainda tenho meus objetivos, um deles era acessar com o Criciúma, mas apareceu essa surpresa muito agradável. Agora vai ficar o Sandro torcedor”, disse.

Confira a entrevista na íntegra:

Tags: sandro