Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

"Usar máscara é um gesto de amor ao próximo", afirma Leandro Avany Nunes

Presidente da Unimed ensina como fazer uma máscara caseira, que pode evitar contaminação alheia de coronavírus
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 06/04/2020 - 11:30Atualizado em 06/04/2020 - 11:31
Foto: Heitor Araujo
Foto: Heitor Araujo

Flexibilização estadual, mais pessoas na rua em Criciúma e nas demais cidades catarinenses. Ainda sem vacina e cura, os alertas da área da saúde para evitar a propagação do coronavírus continuam. Está cada vez mais forte a convicção da utilização das máscaras para quem sai às ruas. Essa determinação quebrou a recomendação inicial da OMS, de que apenas os sintomáticos deveriam usá-la. Segundo o presidente da Unimed de Criciúma, Leandro Avany Nunes, usar máscaras é, hoje, um gesto de amor ao próximo.

A principal função da máscara é eliminar o lançamento de gotículas de vírus no ar, através da respiração, da fala ou de um espirro. A máscara não é propriamente uma arma para evitar o contágio de quem usa, mas sim para evitar um possível contágio do próximo.

"Hoje está sendo liberado tudo e eu não estou vendo as pessoas de máscara na rua. Nessa fase nova de isolamento vertical ou de liberação do isolamento social, a gente previne. Usar máscara é uma atitude de amor ao próximo. Num momento como esse, nada mais bonito do que demonstrar amor ao próximo. Eu sair de máscara hoje é uma demonstração de carinho. Eu posso ter o vírus, não ter sintoma e passá-lo à frente. Nos bancos, nas filas, no comércio, na indústria, todos de máscara", alerta Leandro.

O pneumologista Renato Matos explica que os órgãos internacionais revisaram a determinação inicial de evitar o uso de máscaras e agora ela é, sim, uma forma de minimizar a transmissão do vírus.

"É uma mudança de paradigma. A OMS era contra, achava que usar a máscara não era importante. Agora com o coronavírus, os organismos que ditam as normas no mundo estão firmes na decisão de que é um arsenal a mais, como lavar as mãos, evitar colocar a mão nos olhos e tossir de forma adequada. Não há necessidade de máscaras específicas de TNT ou N95. Se o vírus se espalha em uma conversa, se eu coloco uma barreira mecânica, a propabilidade dele se expandir é menor. Uso da máscara é uma atitude adequada, desde que a pessoa não reduza os outros cuidados", esclarece Renato.

Sem a necessidade de ser uma máscara complexa, Leandro ensina como fazer uma máscara caseira que tenha efetividade, uma vez que não há estoque nas farmácias locais.

"Podemos fazer máscaras em casa. É simples. Tecido de gramatura 30, procura na internet que tem vários tutoriais. Um teste simples, pega um desodorante ou um spray qualquer, joga um jato na máscara, se passar por ela, é porque a máscara não é efetiva. Se não passar, é efetiva. Máscara úmida passa gotícula, se ela umedecer tem que trocar. Quem comprar ou fizer a máscara de pano, lavando à noite e secando para o dia seguinte, pode reutilizar", explicou.

Tags: coronavírus