Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Um caminho prejudicado para os passeios de fim de semana

Estrada Geral do Parobé, recentemente pavimentada, já apresenta inúmeros problemas
Denis Luciano
Por Denis Luciano Criciúma, SC, 26/08/2019 - 13:59Atualizado em 26/08/2019 - 15:57
Divulgação
Divulgação

Chegar em Laguna e, nas redondezas da cabeceira sul da ponte Anita Garibaldi, entrar à direita. Em seguida, está a Estrada Geral do Parobé, como é conhecida a Rodovia Municipal João Batista Wendhausen. É um caminho recorrente para muita gente que sai de Criciúma e região para os passeios de fim de semana. A placa fixada no local indicava para 20 de junho do ano passado o início das obras de pavimentação, com previsão de execução de 210 dias e  investimento previsto de R$ 4,2 milhões de um trecho entre a localidade do Bananal e a Ponta do Daniel, na região pertencente ao Distrito de Ribeirão Pequeno. No fim das contas, serão quase oito quilômetros asfaltados.

Mas no trecho já executado, há problemas. "Esse pedaço está feito faz seis meses, a pedido da comunidade, e em pouco tempo a obra já está com péssima qualidade", afirmou Luiz Fabiano Santos, assíduo frequentador da localidade nos finais de semana. "Em toda a extensão encontramos isso, mais de dois meses nessas condições. Nada foi feito até o momento", comentou, alertando para o risco de acidentes. "É fácil perceber que o estado da pista é esse por falhas na execução da obra", constatou. "Me envergonha saber que a obra foi executada por uma empresa de Criciúma na gestão do vice-governador Eduardo Moreira", emendou Luiz Fabiano, citando a empresa Confer como a responsável pela obra. "Tem muito criciumense que vai para lá no sábado e domingo para visitar e conhecer os restaurantes de frutos do mar", completou.

A Estrada Geral do Parobé é bastante estreita em boa parte da sua extensão, com no máximo 3 metros de largura e casas desalinhadas, algumas bem próximas do leito da pista.

A execução do primeiro trecho, de 2,3 quilômetros, se deu a partir de um convênio assinado pela prefeitura de Laguna com o Governo do Estado, através do Fundam 1, com o repasse inicial de R$ 1,8 milhão. Na ocasião, o prefeito Mauro Candemil anunciava a pavimentação como “um compromisso que o governador assegurou com todos nós de Laguna, principalmente com os munícipes das comunidades do Bananal, Morro Grande, Figueira e Parobé. Além disso, o convênio nos permitirá fazer a continuação de uma pavimentação asfáltica em execução e que vai beneficiar muitas famílias, num total de mais de três mil pessoas em toda extensão”, disse.