Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Setor da construção civil vai retornando aos poucos em SC

Grande parte das lojas de materiais de construção da região sul já estão de portas abertas
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 03/04/2020 - 13:33Atualizado em 03/04/2020 - 13:36
Foto: arquivo / 4oito
Foto: arquivo / 4oito

Com a autorização do governador Carlos Moisés de retomada das atividades da construção civil, materiais de construção de toda Santa Catarina vão voltando à ativa. Na região sul do estado, boa parte dessas lojas já estão com suas portas abertas, e continuam seguindo orientações do Ministério da Saúde em relação a prevenção ao COVID-19.

“Temos visto que as lojas têm sido abertas de uma forma bem tranquila, com os funcionários colocando os produtos de higienização à disposição do cliente para que ele utilize antes de entrar no local, vendendo mas tomando todas as precauções necessárias”, comentou o diretor executivo da Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Sul (Acomac-Sul), Júlio João Pereira.

Apesar do setor da construção civil ter sido afetado diretamente durante este período de quarentena, Júlio ressalta que aos poucos o ramo deve ir se recuperando - em cima demandas encontradas, até mesmo, durante a quarentena. “O ritmo vai cair e já estamos preparados para isso, mas com as pessoas ficando em casa elas acabaram por verificar que suas residências muitas vezes precisavam de reformas, e muita gente começou a ligar para as lojas pedindo por materiais”, afirmou.

A Acomac, assim como todo o setor de construção, pressionaram o governador para a liberação de suas atividades com base em necessidades da população, que continuam precisando arrumar as suas residências. “Se quebra uma fechadura ou queima um chuveiro, a pessoa vai precisar de nós para comprar o material. Nós demos pedimos para o governador a nossa volta com base nisso, nessa demanda que continuava acontecendo”, disse Júlio.

A retomada das atividades, de acordo com o diretor executivo da Acomac, foi essencial para a população e, principalmente, para os trabalhadores, já que muitos que estavam em meio às obras acabaram tendo de parar devido à falta de materiais. 
 

Tags: coronavírus