Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Quão poderoso é você?”, diz Tim Gallwey

Escritor e criador do conceito de coaching realizou palestra em Criciúma, destacando a essência da liderança
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 29/08/2017 - 00:21Atualizado em 29/08/2017 - 00:25

Foi realizada na noite de segunda-feira (28), no auditório da Associação Empresarial de Criciúma (Acic) a palestra A Essência da Liderança e do Aprendizado por Experiência, com o criador do conceito de coaching no mundo, Tim Gallwey. Ele falou sobre a felicidade, sua relação com o tênis e como liderar uma empresa.

“Ao perguntar para uma criança de cinco anos se prefere ser rica ou feliz, ela responde sem titubear, ‘eu prefiro ser feliz’. A criança cresce, com 15 anos começa a pensar sobre a questão. Aos 21 anos vai se formar, não há hesitação, ‘quero ser rico, porque se for rico eu vou ser feliz’. Eu posso apostar que 90% vai seguir essa linha”, disse Gallwey.

Para ele, a pessoa deve acreditar em si mesma, e só assim poderá atingir os seus objetivos na vida. Devemos ser alegres e aproveitar os momentos de aprendizagem. 

“Quantas vezes eu já ouvi isso, você precisa ser alguém? Mas espera, achei que eu estava feito, que eu já era aguem. O que tem de errado comigo que eu tenho que me tornar outra coisa?”.

Antes do líder deve vir o lado humano. Gallwey acredita que as pessoas não são aquilo que fazem, aquilo que trabalham. Todos os dias temos grandes desafios, a cada decisão, certa ou errada, é uma escolha a se fazer.

“É muito desafiador ser o líder da sua própria vida e sendo o líder da sua vida você tem que guiá-la para aquilo que é sucesso. Quando você chegar ao sucesso, você vai saber se atingiu o que chama de sucesso”, imaginou.

Sempre temos muitas possibilidades de escolhas. As vezes ficamos reféns dos sonhos dos outros, de nossos pais, amigos ou do chefe. Ele contou que poderia jogar tênis ou partir para o golfe.

“Se eu buscar ser alguém aos olhos dos outros, o número de medalhas que eu uso vai provar o que eu fiz aos olhos dos outros. Você se apaixonou pelo ego dessa pessoa, foi por esse cargo que você se apaixonou?”, terminou.