Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Preço do leite vai subir 50%; feijão terá aumento de até 42%

Supermercados devem repassar os novos valores assim que o estoque atual nas lojas da região acabarem
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo Criciúma - SC, 25/03/2020 - 10:45Atualizado em 25/03/2020 - 10:49
Feijão terá aumento de até 42% no preço final (Foto: Arquivo / 4oito)
Feijão terá aumento de até 42% no preço final (Foto: Arquivo / 4oito)

Os preços do leite, do feijão e do queijo devem subir nos próximos dias nos supermercados de Criciúma e região. Circula no whatsapp o áudio de um supermercadista do Oeste do estado, criticando o aumento do preço do leite fornecido ao varejo. O áudio, erroneamente compartilhado como se fosse de Zefiro Giassi, ataca uma situação confirmada pelo vice-presidente da Associação Catarinense de Supermercados (Acats), Nazareno Dorneles: o leite deve ter um aumento de quase 50% nas prateleiras.

No áudio, o supermercadista, que não se identifica, afirma que todas as marcas de leite suspenderam os pedidos com o preço antigo e colocaram um aumento significativo na venda do produto. "O que tinha de pedido em carteira foi derrubado. Eles não vão respeitar os pedidos que tínhamos. O vírus não está vindo pelas pessoas, está vindo pela indústria catarinense. Vamos deixar chegar nas autoridades máximas para eles saberem o que está acontecendo na nossa região", disse.

Nazareno concorda com o conteúdo do áudio. "Está alinhado com o pensamento de todos os supermercadistas de Santa Catarina. Não há frase ou vírgula desalinhada com a situação. Estamos preocupados com o aumento de preços que consequentemente serão repassados ao consumidor", afirmou Nazareno.

De acordo com o vice-presidente da Acats, é natural que produtos sofram aumento, ocasionados por alteração na produção ou de consumo. No entanto, o aumento do preço do leite é considerado "fora da curva". "Nós (supermercadistas) não formamos preços, nós não podemos e não queremos pagar a conta de algumas categorias que estão tendo aumento fora da curva", apontou.

Além do leite, o queijo também terá aumento nas prateleiras, além do feijão, cujo preço deve subir entre 40 e 42%. Os novos preços entrarão em vigor assim que acabar o estoque dos produtos nos supermercados locais. "Os estoques estão regulados, o preço ainda não foi aumentado porque a indústria aumenta daqui para frente. Os produtos estão expostos sob os preços pelos quais foram adquiridos na última compra", esclareceu Nazareno. A nova compra deve ocorrer na semana que vem.

A Acats afirma que está monitorando a situação em Florianópolis, em alinhamento com o Procon estadual. O aumento do leite deve ser nacional e o assunto foi encaminhado à Associação Brasileira dos Supermercados.