Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Os 40 anos do Aeroporto Diomício Freitas, parceria com o Senai e novidades em 2020

Evento aconteceu na manhã desta terça-feira, com homenagens e direito a bolo
Erik Behenck
Por Erik Behenck Forquilhinha - SC, 17/12/2019 - 15:49Atualizado em 17/12/2019 - 15:53
Fotos: Fabio Silva / Especial
Fotos: Fabio Silva / Especial

O Aeroporto Regional Diomício Freitas, de Forquilhinha, está completando 40 anos. Na manhã desta terça-feira, 17, aconteceu um evento em comemoração. A chuva atrapalhou um pouco, já que a expectativa era pelo pouso de algumas aeronaves e a única que conseguiu descer foi o helicóptero do Saer.

“Foi tudo bem, apesar da chuva que o pessoal não pode pousar, alguns pilotos vieram por terra de Floripa, não tinha teto, eles não quiseram arriscar. Nós fizemos a homenagem para o senhor Riberinho, ele tem 80 anos e continua trabalhando com as aeronaves, mandamos confeccionar uma placa e o prefeito entregou para ele”, contou o gerente comercial da RDL Aeroportos, André Constanzo.

Também durante o evento comemorativo foi anunciada uma novidade interessante, que será colocada em prática no primeiro semestre de 2020.

“Tivemos um café da manhã, teve o pessoal dos hangares, nós anunciamos a vinda oficial da escola de pilotos, com uma parceria que estamos buscando, com o Senai, para fazer cursos técnicos de mecânica em aeronave e queremos fazer um laboratório no aeroporto, isso deve ficar para o primeiro semestre”, disse André.

A luta pelo Saer

De acordo com Constanzo, o Aeroporto Diomício Freitas recebe três ou quatro vezes por dia o helicóptero do Saer e isso gera custos extras para a operação. Segundo ele, o melhor seria que o local passasse a ser a sede fixa da aeronave, o que traria uma economia de até R$ 120 mil por mês.

“O prefeito de Criciúma está brigando para deixar baseado ali, mas o aeroporto é do Estado, então não teria a despesa mensal e não teria esse deslocamento, lá onde o Salvaro quer colocar não tem abastecimento e perderia uma hora por dia, que custa de R$ 4 mil a R$ 5 mil, fora o risco e as outras coisas que envolvem com esse deslocamento para abastecer”, destacou.

Os dois anos da RDL no aeroporto

Para 2020, a espera pelo Saer, e deverá acontecer a inauguração da escola de comissários e de pilotos, além do curso em parceria com Senai. Será o terceiro ano da RDL no Diomício Freitas.

“Nós tivemos um crescimento no ano passado, em torno de 536% de quando pegamos para um ano depois, isso em relação as operações, em relação a Infraero. Nesse último ano faremos um balanço no fim de dezembro, acredito que teve um crescimento de 15% a 20%”, citou.