Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Mulher mente ter sido sequestrada para safar companheiro de crime de latrocínio

Trabalhador de 33 anos foi morto baleado após tentativa de assalto
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Morro da Fumaça - SC, 27/04/2021 - 07:52Atualizado em 27/04/2021 - 11:29
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Duas ocorrências movimentaram ações da Polícia Civil e Militar na região de Criciúma na noite desta segunda-feira, 26. Os casos envolvem a morte de um trabalhador em Morro da Fumaça, seguido de mentiras de uma mulher que tentava livrar o seu companheiro do crime de latrocínio.

Por volta das 22h30, policiais de Morro da Fumaça foram acionados ao saberem que três homens em um Clio branco tentaram roubar um veículo e acabaram atirando no motorista.  A vítima, de 33 anos, estava indo para a empresa Cristal Embalagens, onde exercia um cargo de liderança, quando foi surpreendida.

“A vítima se assustou [com os assaltantes], fechou a porta do carro e recebeu um disparo de arma de fogo. Andou alguns metros e bateu em uma residência, e os indivíduos fugiram no Clio”, destacou o delegado da Polícia Civil, Ulisses Gabriel, que trabalhou na ocorrência durante todo o período.

De acordo com o delegado, foi constatada então a Divisão de Crimes e constatou-se que há alguns dias, três indivíduos haviam praticado um roubo com um Clio branco e que uma testemunha, que estava no local do latrocínio, presenciou o fato. Ela então indicou características dos suspeitos e, com isso, foi feito um levantamento dos indivíduos e identificado que uma mulher que seria companheira de um dos criminosos.

Pouco tempo depois do crime, em Criciúma, uma mulher acionou a polícia dizendo que teria sido vítima de um sequestro relâmpago, tendo ficado horas presa em um porta-malas. A informação chegou ao delegado Ulisses, sob afirmações contraditórias por parte da suposta vítima.

“Ela foi para a Central de Polícia e, durante a conversa, percebi que ela estava mentindo, e que esse veículo Clio teria sido de fato utilizado no crime de latrocínio e que ela estava simulando a situação. Ela disse que teria sido assaltada, que teria pedido um xis salada, mas não havia registro de pedido, delivery e nem nada, e sua bolsa estava em sua casa ainda, então ela teria saído sem os documentos”, pontuou o delegado.

A Polícia constatou então que o seu companheiro teria participado como motorista do crime ocorrido em Morro da Fumaça, e que ela teria mentido com o intuito de despistar as autoridades. Os policiais então se dirigiram ao apartamento do casal, no bairro Jardim União, onde o criminoso estava escondido e acabou sendo preso em flagrante. 

“Ouvimos a mulher, que acabou confirmando e confessando que o veículo foi utilizado na prática delitiva e que também teria sido utilizado em outro crime anterior. O indivíduo disse onde estava o veículo e agora iremos realizar a perícia, para analisar as digitais e pedir a prisão preventiva dos outros dois indivíduos. A fala da suposta vítima de sequestro foi uma fraude para tentar ludibriar a polícia”, confirmou Ulisses.

Tags: latrocínio