Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Mesmo com pedido de afastamento, presidente da Fecam afirma que fica no cargo

Prefeito enviou nota à diretoria e aos prefeitos dos municípios catarinenses
Vitor Netto
Por Vitor Netto Major Vieira - SC, 07/08/2020 - 12:30Atualizado em 07/08/2020 - 12:34
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Depois de uma Operação do Ministério Público de Santa Catarina que envolve o presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), prefeito Orildo Severgnini, de Major Vieira, a diretoria da entidade pediu o afastamento do presidente. Severgnini reagiu ao pedido do conselho, chamando de "o mais duro golpe" que já recebeu como gestor público e afirmando que ficará no cargo. 

Veja também: Diretoria da FECAM pede afastamento de presidente

Na nota, Severgnini afirmou que os fatos da investigação são datados de 2015 e que até o momento não há "absolutamente" nenhum processo judicial instaurado contra ele. Ele ainda aponta que "sequer foi especificado, com clareza, qual é a acusação que é dirigida" a ele na condição de prefeito de Major Vieira. 

Veja também: Presidente da Fecam é alvo de Operação do MPSC

O prefeito afirma em nota que a sua decisão é de permanecer à frente da Fecam e afirmou que diversos prefeitos são publicamente expostos em situações semelhantes. Além disso, a Federação "nunca compactuou com linchamentos públicos dos prefeitos catarinenses", escreveu na nota. 

O presidente ainda colocou que o recebimento do pedido, que solicitava o seu afastamento, causou "profundo pesar e estranhamento". E que representou "o mais duro golpe" que recebeu em todos os anos que atuou como gestor público. 

Por fim, Severgnini convocou uma reunião dos Presidente de Associações Municipais  para o dia 11 de agosto, de forma virtual, para ouvir as necessidades e dificuldades, bem como as demandas regionais. 

Veja a nota:

Tags: fecam