Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Em homenagem, italianos cantam o hino de Criciúma (VÍDEO)

Grupo de jovens e adultos catarinenses estão na Itália para descobrir as origens e recebeu a emocionante homenagem
Heitor Araujo
Por Heitor Araujo 17/01/2020 - 10:56Atualizado em 17/01/2020 - 11:07
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Em uma viagem de descoberta das origens e dos costumes que influenciaram na cultura do Sul catarinense, um grupo de jovens e adultos presencionou uma bela homenagem na região de Vêneto, no norte da Itália. Dois grupos artísticos locais cantaram o hino de Criciúma, como forma de recepcionar os turistas catarinenses que estão no país para resgatar a história de seus antepassados.

A homenagem emocionou os brasileiros presentes na reunião. Quem conta é a presidente da Associação Trevisani de Tubarão, Fabíola Cechinel. 

"Pra gente é uma emoção. Nós valorizamos e trazemos as pessoas para conhecerem as suas raízes aqui na Itália, para desenvolver projetos elaborados aí no Brasil. Que bom que todo mundo tenha gostado do vídeo, aquilo foi emoção na pele. Ninguém tinha preparado nada, mas aconteceu", explica Fabíola.

O jantar aconteceu na pequena cidade de Bassano del Grappa, na provícia de Treviso. Os dois grupos que fizeram a homenagem também são de Vêneto, mas da cidade, ou comuna, de Castelfranco Vêneto. Eles aprenderam o português em passagem que tiveram por Santa Catarina, inclusive com integrantes hospedados em lares de famílias de Criciúma. "Eles aprenderam a cantar o hino na língua portuguesa, conseguiram isso no tempo em que estiveram no Brasil", diz Fabíola.

O encontro acaba sendo de emoção não só para os brasileiros que estão na Itália para conhecer a origem, mas também para os italianos que recebem aqueles que são seus descendentes. 

"É emocionante ver a pessoa que vem do Brasil, mas também do pároco que recebem as pessoas. É uma viagem de passeio e de emoção. Temos emoção duas vezes, por ver as pessoas no lugar de origem da família, mas também de ser recebido com o respeito que os italianos dão a todos nós", celebra Fabíola. "Os grupos cantaram músicas que são do nosso repertório cultural e familiar. As canções deles vêm de encontro às que conhecemos como imigrantes", acrescentou.

Além de catarinenses do Sul, a caravana também tem pessoas de São Paulo. "Trouxemos sobrenomes para descobrir de onde eram os familiares que vieram para o Brasil. Também estão junto seis jovens ainda que fazem intercâmbio, que se encerra no dia 22. Vamos levá-los para conhecer outras regiões. Eles também participam do reconhecimento de suas origens e cultura. É um momento particular na vida, porque era um sonho deles conhecer a região da Itália que tanto se vê falar", afirma Fabíola. 

Comuna de Bassano del Grappa tem pouco mais de 40 mil habitantes (Foto: Divulgação)

Vêneto

A região de Vêneto foi onde mais fortemente houve a imigração para o Brasil no fim do século XIX. A Itália foi por muitos séculos uma nação fragmentada, com disputas internas e invasões estrangeiras. A unificação do hoje país, na forma de um reino, foi completa apenas na década de 1870. 

Versa o hino de unificação italiana, Fratelli D'Italia (irmãos da Itália), a dificuldade sofrida pelo povo ao longo dos séculos, em tradução para o português: 

"Nós fomos há séculos
Pisados, escarnecidos
Porque não somos povo
Porque estamos divididos
Reúna-nos uma única
Bandeira, uma esperança
De fundirmo-nos juntos
Já é hora"

No Sul catarinense, a homenagem à região é clara em duas cidades: Nova Veneza e Treviso, batizadas de acordo com comunas homônimas no norte italiano. Na época das grandes navegações, Veneto chegou a ser um dos reinos mais ricos da Itália, devido à importância geográfica de comércio no Mar Mediterrâneo, especialmente o porto de Veneza. Porém, as graves crises econômicas do fim do século XIX estimularam a imigração, que contribuiu com o desenvolvimento do Sul de Santa Catarina e da Serra gaúcha.