Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Dicas preciosas para um sono tranquilo

Temática da Semana do Sono é voltada para os idosos. Sábado tem evento na Praça Nereu Ramos
Por Vanessa Amando Criciúma, SC, 14/03/2019 - 11:28
Divulgação
Divulgação

Realizada em todo o mundo por meio da Associação Mundial do Sono, a Semana do Sono acontece, também, em Criciúma. Desde segunda-feira, dia 11, diversas ações estão sendo promovidas na cidade por especialistas no assunto e a iniciativa segue até sábado, dia 16, no Dia D da Semana do Sono, quando profissionais da Associação Brasileira do Sono (Absono) estarão na Praça Nereu Ramos, no Centro, próximo da Casa da Cultura, das 9h ao meio-dia, para passar informações e orientações à população, além de realizar avaliações da qualidade do sono, tudo de forma gratuita.

A Semana do Sono já ocorre há alguns anos, sempre com temas diferentes, e a temática deste ano é “Dormir bem é envelhecer com saúde”, como foco nos idosos. De acordo com o presidente da Absono em Santa Catarina, Fábio José Fabrício de Barros Souza, também pneumologista e especialista em Medicina do Sono, todas as pessoas precisam dormir bem, mas a prevalência de distúrbios de sono é mais comum em idosos.

“O homem idoso tem mais apneia restritiva do sono, que é quando a pessoa ronca e fecha a garganta por um tempo, depois abre de novo e assim segue ao longo da noite toda. Esse fechamento diminui a entrada de oxigênio, o que aumenta os riscos de hipertensão, insuficiência cardíaca, que é o coração inchado, arritmia, que é quando o coração bate de maneira errada, além de AVC, que é o derrame cerebral, e até alterações de memória, com maior chance de Alzheimer. Lembrando, ainda, que quem tem apneia tem risco maior de morte”, alerta Souza.

Já entre as mulheres idosas são mais comuns os casos de insônia, o que leva a outro problema: o uso indiscriminado de medicamentos para dormir. Segundo o médico, esse tipo de medicação está cada vez mais barato e o acesso facilitado, mesmo sendo com prescrição controlada. Além de causar dependência, o especialista salienta que, novamente, os idosos são mais prejudicados pelo uso descontrolado desses remédios, porque, geralmente, já utilizam diversos outros medicamentos.

Sono reparador

Souza explica que adultos e idosos devem dormir, normalmente, de sete a oito horas por noite - esta é a quantidade de sono normal para qualquer indivíduo. No entanto, a pessoa deve observar se este sono está sendo reparador. “Não é normal dormir de sete a oito horas e estar indisposto no dia seguinte. Se isso está acontecendo, pode ser que a pessoa tenha algum distúrbio de sono. É importante observar e passar por avaliação médica. Outra coisa: muita gente acredita que roncar é normal. O ronco pode ser frequente, mas ele não é normal, independentemente se a pessoa ronca pouco ou muito, tem que procurar ajuda médica”, ressalta.

A polissonografia é o exame aplicado por especialistas para detectar distúrbios de sono, como ronco, apneia, insônia, movimento de pernas, entre outros. Ele pode ser feito em qualquer pessoa e ela precisa passar uma noite na clínica especializada. “A privação de sono pode causar, ao longo do dia, mais sonolência, fadiga, baixa energia, alterações de memória, alteração do humor, com mais ansiedade e mais depressão, prejuízos no trabalho, com baixa no rendimento, além de causar até acidentes automobilísticos”, esclarece Souza.

Dicas para melhorar a qualidade do sono
- Evitar derivados da cafeína após às 18 horas (café, chocolate, chá preto, energético, chimarrão, entre outros);
- Evitar intensidade de luz nas duas horas que antecedem o momento de dormir (se for dormir à meia noite, por exemplo, evitar luz a partir das 22 horas);
- Evitar televisão, luz branca, computador, tablet e, principalmente, celular antes de dormir;
- Evitar bebida alcoólica antes de dormir;
- Evitar refeições três horas antes de deitar;
- Tirar um cochilo após o almoço, de até 30 minutos (exceto pessoas que sofrem de insônia);
- Praticar atividade física regular, se possível de manhã ou à tarde, evitando fazer quatro horas antes de dormir;
- Climatizar o ambiente do quarto, sendo este silencioso e escuro;
- Manter horários regulares para acordar e dormir, mesmo aos fins de semana;
- Ir para a cama somente se tiver sono (caso o sono não chegar, é recomendável uma leitura leve com luz branda amarela, deixando de lado a TV, por exemplo).