Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Defesa Civil debate construção de nanossatélites em SC

Projeto de constelação de nanossatélites brasileiros poderá ser expandido para utilização em diversas áreas
Redação
Por Redação Florianópolis, SC, 29/10/2020 - 22:16
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Uma reunião realizada na sede Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC), nesta quarta-feira, 28, debateu o projeto para a construção de uma constelação de nanossatélites brasileiros, que serão desenvolvidos e construídos com o potencial tecnológico catarinense. Os equipamentos poderão ser utilizados nas áreas de proteção e defesa civil, meio ambiente, meteorologia e agricultura.

A iniciativa reuniu representantes da DCSC, Agência Espacial Brasileira (AEB), Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) Comissão Parlamentar Aeroespacial e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Durante o encontro, o projeto de nanossatélites recebeu o nome de Constelação Catarina. Ficou definido que o equipamento piloto deve ser lançado em 2021. Para a primeira etapa do projeto, que deve ser realizada até 2024, estão previstas a construção e lançamento de outros 12 satélites.

“São satélites de baixo custo mas que incorporam grande tecnologia”, comentou o diretor de governança da AEB, Cristiano Augusto Trein. Segundo ele, além de trazer benefícios para sociedade com o fornecimento dos mais diferentes dados também vai gerar empregos.

“O Setor Espacial é uma infraestrutura para o país que atende diversos setores econômicos como educação e saúde. Aqui em Santa Catarina temos o desafio dos eventos climáticos e se a Defesa Civil não estiver preparada a população sofre com as consequências e dificuldade de resposta”, disse o presidente da AEB, Carlos Moura. Ele completou explicando que a proposta é melhorar a coleta de informações, desenvolver novas aplicações e transformar o Estado em um novo polo aeroespacial brasileiro.

O chefe da Defesa Civil de Santa Catarina, Aldo Baptista Neto, reforçou que o projeto vai fornecer produtos fundamentais que vão melhorar e ampliar ainda mais a capacidade de interpretação de dados para a identificação de eventos meteorológicos. “O nosso estado possui uma exposição a desastres naturais e aprendeu com isso. Sabemos que o Brasil evoluiu e em Santa Catarina não foi diferente. Conhecemos nossas vulnerabilidades e investimos para reduzir os prejuízos e garantir a segurança dos cidadãos e turistas.”