Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

Criciumense revela os detalhes da viagem até o topo do mundo

Após quase dois meses de aventura, André Freitas foi o primeiro catarinense a atingir o cume do Everest
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 04/06/2018 - 14:41Atualizado em 04/06/2018 - 15:41

Faz duas semanas que ele chegou ao topo do Everest e agora retornou ao Programa do Avesso para contar a experiência. O empresário André Freitas foi o primeiro catarinense e o 22º brasileiro a atingir o ponto mais alto da terra. Ele esteve no programa dia 20 de março, quando ainda planejava a subida

"Foi muito mais complicado do que eu imaginava. Não tem discurso, estava preparado psicologicamente, mas não sabia como iria ser. Eu só desistiria se tivesse algum problema de saúde ou congelamento dos dedos", disse Freitas.

A viagem começou no dia 23 de março, com saída do Brasil rumo a Ásia. Seu grupo de subida contava com 25 pessoas, sendo que 12 delas completaram o percurso de 8.848 metros, ninguém morreu, os desistentes foram por problemas de saúde. Segundo ele, a aventura tem um custo variável de US$ 15 mil até US$ 150 mil. "Você não fica junto com o pessoal, eles dividem por grupos de velocidade. Eu fiquei no grupo rápido", destacou.

Foram dois meses até chegar ao objetivo. Durante este tempo, perdeu 9 kg. Com mais de 5 mil metros de altitude, o campo base conta com internet, onde André aproveitava para acessar o WhatsApp e o Instagram, de acordo com ele, o valor cobrado era bastante alto.

André Freitas, o primeiro catarinense a escalar o Monte Everest (foto: Luana Mazzuchello)

Durante a subida normalmente se dá um passo a cada três segundos. A conversa com o grupo é complicada devido ao frio e aos equipamentos. “Chega lá em cima da até uma aflição de tão alto. É uma experiência incrível”, descreveu. Se a chegada ao cume foi tranquila, faltava descer. "Fiquei muito preocupado porque 60% das mortes acontecem na decida. Não estava nervoso, mas fiquei muito preocupado na decida", garantiu.

Mesmo tendo chegado de volta ao Brasil apenas na última semana, André Freitas já planeja sua próxima aventura: uma volta ao mundo de helicóptero, mas ainda sem expectativa de data. “Hoje em dia eu fico pensando: será que eu vou perder um pouco isso aí? Eu não me arrependo de nada, talvez se tivesse perdido um dedo quem sabe. Tô com uma tosse, mas deve ficar bem rapidamente”, finalizou o aventureiro.

Programa do Avesso completo:

Pity Búrigo, André Freitas e Mano Dal Ponte no Programa do Avesso (foto: Luana Mazzuchello)