Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Arleu garante investigação justa e transparente na Afasc

Para Ademir Honorato, situação é semelhante a um vereador virar secretário
Erik Behenck
Por Erik Behenck Criciúma - SC, 05/11/2019 - 08:16Atualizado em 05/11/2019 - 08:18
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Ontem foi protocolada a CPI da Afasc, pelo vereador Arleu da Silveira (PSDB). Na sessão desta terça-feira, 5, será lido em plenário o requerimento. Assinaram ainda os vereadores Dailto Feuser e Moacir Dajori (PSDB), Tita Beloli, Toninho da Imbralit e Paulo Ferrarezi (MDB), e Aldinei Potelecki (Republicanos).

“Nós fomos até o gabinete falar com o prefeito e saiu a construção dessa CPI, montada pelo próprio Paço. Isso mostra que o governo não tem nada para esconder”, explicou Arleu. “Há cinco meses a oposição fez a CPI do Criciumaprev, que está sendo pago totalmente em dia, foi uma CPI eleitoreira. Essa vai ser uma CPI justa, voltada para a transparência”, completou.

Desde a última semana a oposição vinha tentando montar uma CPI, mas faltaram duas assinaturas. “Eu espero que seja uma ótima investigação. É aquela mesma história que o vereador vira secretário, porque depois ele volta para fiscalizar a função que ele tinha”, citou Ademir Honorato (MDB). Ainda afirmou que a CPI do Criciumaprev foi realizada de maneira séria e pediu respeito.

Conforme Arleu, a investigação vai servir para mostrar se a Afasc é mesmo uma caixa preta, segundo ele, todos os documentos necessários poderão ser solicitados pelo presidente da CPI. O vereador destacou ainda que a Afasc prontamente afastou a funcionária acusada de desviar carnes. Para Ademir Honorato, os vereadores já vinham sendo cobrados sobre uma posição.

“Tem males que vem para bens, muita gente estava me cobrando quando eu passava em algum local, os outros vereadores também estavam sendo cobrados. A gente estava conversando, tínhamos montado um documento para protocolar”, citou.