Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

“Acordo foi feito para ser cumprido”

Presidente do sindicato rebate afirmação de presidente da Afasc
Por Clara Floriano Criciúma - SC, 13/10/2017 - 08:17Atualizado em 13/10/2017 - 08:57

Após liminar que propunha o fechamento da Afasc nesta sexta-feira (13), expedida pela 3ª Vara do trabalho de Criciúma, a pedido do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino da Região Sul de SC, foi decidido na tarde de ontem que as unidades funcionariam normalmente. A decisão partiu do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região.

Hoje, o diretor executivo da Afasc, Adriano Boarolli, explicou que a decisão foi para não prejudicar os pais das crianças e nem demais pessoas que dependem dos serviços da Afasc. Entretanto, para José Argente, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino da Região Sul de SC, a decisão foi estranha, já que um acordo firmado entre sindicato e Afasc previa o fechamento da instituição municipal.

“Não foram os professores que construíram o calendário escolar, foi a gestão da Afasc. Eles colocaram esse dia, depois fizemos um acordo no dia 1º de março e esse dia estava como feriadão. E no dia 10 eles disseram que não iam dar o feriadão. Isso é uma justificativa furada, eles fizeram o calendário. Nós fizemos um acordo para que eles fizessem alteração pelo menos 30 dias antes. Talvez a juíza que caçou a liminar não tenha conhecimento do acordo. Acordo foi feito para ser cumprido. Vamos entrar com ação de cumprimento, para cobrar em dobro e com multas pelos trabalhadores que trabalharam hoje”, explicou Argente.