Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
4

A situação das ruas de Criciúma na manhã após o assalto

Comércios tiveram suas vidraças quebradas e explosivos foram deixados pelos criminosos
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 01/12/2020 - 07:42Atualizado em 01/12/2020 - 07:43
Foto: Gregório Silveira / 4oito
Foto: Gregório Silveira / 4oito

A região central de Criciúma viveu uma verdadeira noite de terror na madrugada desta terça-feira, 1, com a ação de criminosos que assaltaram uma agência do Banco do Brasil, fizeram reféns e dispararam contra o Batalhão da Polícia Militar. Na manhã após o crime, algumas ruas de Criciúma se encontram fechadas para as operações de verificação dos agentes militares.

Diversas vitrines de lojas e comércios foram quebradas em vários pontos diferentes da Rua Henrique Lage. No entorno da agência do Banco do Brasil, na rua Lauro Müller com a Getúlio Vargas, cones estão interditando o local para a ação dos militares que fazem o reconhecimento das ações dos criminosos.

Muitas das pessoas que acessam a região central da cidade, por entre a Praça Nereu Ramos, se mostram curiosas com o acontecido - com viaturas espelhadas e vidraças quebradas nas lojas. O movimento continua normal nas primeiras horas da manhã, tanto na Avenida Centenário quanto na Marechal Deodoro. 

A orientação é de que as pessoas não acessem com seus veículos às ruas Lauro Muller e Getúlio Vargas, justamente pela operação e interdição que está sendo realizada pelos militares no local. No céu, alguns helicópteros da Polícia Militar fazem o reconhecimento dos locais.

Ainda na manhã desta terça, quatro explosivos foram encontrados pelos militares na região central da cidade, deixados pelos criminosos. Três estavam localizados na Praça do Congresso, e um deixado dentro de um veículo FIAT MOBI de cor vermelha. O esquadrão antibomba já está trabalhando para a desativação dos explosivos.