Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui
* as opiniões expressas neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do 4oito

Coronavírus e os eventos

Quando voltaremos a ter eventos no Brasil?
Maykol Cardoso
Por Maykol Cardoso 30/03/2020 - 11:40Atualizado em 05/05/2020 - 11:50

Coronavírus e os eventos. Afinal, quando voltaremos a ter eventos no Brasil?

No meio de tantas discussões envolvendo a saúde x economia x política resolvi falar um pouco sobre a minha categoria: os eventos

São muitas as dúvidas que passam pela cabeça de quem produz eventos.

Navegar pelo cenário de incertezas já faz parte do currículo de qualquer profissional da área.

Porém, existem situações que nem o mais experiente profissional da indústria estará preparado para lidar. Uma pandemia global por exemplo.

Nenhum instituto de pesquisa ou tendências, tampouco os profetas do apocalipse do WhatsApp, coaches ou gurus, têm alguma resposta.

O máximo que podemos fazer é observar e aprender com os países onde o coronavírus chegou primeiro.

Porém, sob o ponto de vista de quem já investiu tempo e dinheiro para fazer a sua produção acontecer, o cancelamento de um evento deve ser a última opção explorada.

Ou seja, se o seu evento estiver marcado para o 2º semestre, siga o seu cronograma, mas comece a preparar desde já um plano B para quando chegar a hora de tomar a decisão de cancelá-lo ou adiá-lo.

Lembre-se também de que não adianta esperar vendas nessa hora. Também não faz o menor sentido anunciar lineups, promoções ou qualquer esforço de vendas nesse momento. Além de ser uma estratégia ineficaz, é uma atitude insensível e sua marca corre um sério risco de ser atacada nas redes sociais.

É possível que em agosto voltaremos a ver eventos no Brasil. Possível, mas nesse momento é prematuro prever. Caso consigamos controlar o avanço da epidemia, seguindo o modelo dos países Asiáticos, a partir de Julho poderemos esperar uma redução do coronavírus no Brasil.

Porém, mesmo que uma vacina milagrosa surja no meio do caminho (a estimativa é de 1 ano pelo menos), é preciso encarar um cenário de baixo poder de compra, alto desemprego e as consequências psicológicas que o medo da doença e isolamento social trarão para a população. 

Há um outro aspecto perigoso, como você deve imaginar. O que acontece se todos os eventos forem adiados para o fim do ano? 

Primeiramente, as pessoas terão que fazer escolhas. O bolso é o mesmo. E estará mais apertado. 

Segundo, é preciso encarar que muitas pessoas morrerão, outras quebrarão, perderão emprego, enfim… a recessão vai demorar a passar. E o clima para festa, também.

Por fim, vale lembrar que ainda estamos no início da doença. Embora as condições climáticas do Brasil ajudem, se as estatísticas estiverem certas, somente em abril vamos entrar na curva ascendente de casos e fatalidades.

4oito

Deixe seu comentário