Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Tigre: No voto, a solução para o impasse

Após contestações, Conselho Deliberativo lançou edital para eleger Diretoria Executiva para triênio 2019 a 2021
Por Lucas Renan Domingos Criciúma, SC, 11/12/2018 - 06:15
Grupo de conselheiros se movimenta para criação de uma chapa de oposição/Foto:Daniel Búrigo/A Tribuna
Grupo de conselheiros se movimenta para criação de uma chapa de oposição/Foto:Daniel Búrigo/A Tribuna

Vai ter eleição para presidente do Criciúma. O edital de convocação publicado pelo Conselho Deliberativo, chama os conselheiros para uma reunião ordinária a ser realizada no 21 de dezembro de 2018. Na pauta da reunião, está a aprovação das chapas concorrentes para a eleição da Diretoria Executiva do Criciúma para o triênio 2019 a 2021 e a definição da chapa eleita.

A eleição foi convocada, após matéria divulgada pelo jornal A Tribuna no último dia 5. Foi apurado, que, de acordo com o Estatuto Social do Criciúma e pela Lei Pelé, o mandado de Jaime Dal Farra se encerrou no último sábado. Só que, nenhuma Assembléia Geral, até então, havia sido convocada pelo Conselho para a escolha de uma nova chapa ou a reeleição do atual presidente.

O caso acabou gerando contestações de alguns conselheiros que entenderam sobre a necessidade da nova eleição. O Conselho justificou que o mandato de Dal Farra deveria ser estendido até março de 2022, quando acabaria o contrato de gestão firmado com Gestão de Ativos (GA), conforme havia sido negociado com Antenor Angeloni ainda em 2011, quando a GA assumiu o clube. A Ata da reunião do Conselho no dia 30 de novembro, chegou a ser registrada contendo uma rerratificação da Ata do dia 8 de dezembro de 2015, quando Jaime Dal Farra foi eleito e estendendo o mandato. Só que o Conselho Deliberativo recuou.

Coletiva para explicações

Após a publicação do edital de hoje, haverá coletiva, às 11h, na Sala de Imprensa Clésio Búrigo. “Vamos explicar tudo o que aconteceu”, garantiu o presidente do Conselho, Carlos Henrique Alamini. “Até então tudo estava sendo feito com transparência. Para não prejudicar o Criciúma. A Ata foi entregue a CBF ao Ministério dos Esportes e não havia tido contestação”, apontou.

Alamini acredita que a realização da eleição pode acabar tumultuando os bastidores do Criciúma. “Acho que está sendo feita uma grande confusão. Estava sendo encaminhado tudo com sinceridade. Mas se é para fazer a eleição. Então é o que iremos fazer”, afirmou o presidente do Conselho.

Pode ter concorrência

A inscrição de chapas passa a valer de hoje até a véspera da eleição, no caso, dia 20 de dezembro. O grupo inscrito precisa ter um nome para presidente, vice-presidente administrativo, vice-presidente financeiro e vice-presidente de patrimônio. A candidatura de Dal Farra deve acontecer. Por outro lado, há uma mobilização para inscrever uma chapa de oposição. O grupo “Apenas Criciúma”, formado por aproximadamente 50 conselheiros deve se reunir nos próximos dias para tomar e decisão de concorrer com uma chapa ou não.

Para se inscrever, os candidatos não podem ser cônjuge ou parente de até segundo grau do atual presidente ou membros da Diretoria Executiva. Também precisam ser associados proprietários (sócios patrimoniais) do clube, por um período mínimo de cinco anos consecutivos, estar em dia com seus direitos estatutários e, se eleitos, terão mandato de três anos podendo ter uma reeleição. A chapa só será validada caso haja aprovação de um terço dos conselheiros aptos a votos presentes na reunião.