Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Peças da Ponte Hercílio Luz serão distribuídas a partir de novembro

Ferragens e estruturas de aço que não serão mais utilizadas, fornecerão aos municípios mais de 800 novas pontes
Amanda Farias
Por Amanda Farias Florianópolis, SC, 17/09/2019 - 10:24Atualizado em 17/09/2019 - 11:15
Arquivo / 4oito
Arquivo / 4oito

Perto de ser novamente reconstruída, a Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, foi construída há mais de 90 anos e está prestes a voltar a dar acesso aos diversos municípios que cercam a Ilha. E em meio à reestruturação, muitas peças estão sendo substituídas por novas, e por iniciativa da Defesa Civil do Estado, essas peças que suportam a Hercílio Luz serão reaproveitadas e repassadas às cidades catarinenses, e formarão ao todo, aproximadamente 800 pontes. As peças começarão a ser distribuídas aos municípios no mês de novembro.

As ferragens e estruturas de aço que não serão utilizadas na Ponte Hercílio Luz poderão contribuir com diversos municípios do Estado, somando cerca de 1,8 mil toneladas. Uma empresa foi contratada para fazer o plano de corte e o projeto dessas novas pontes, com tudo o que é necessário e com os conectores. Os municípios que apresentam as demandas estão fazendo as solicitações das pontes à Defesa Civil, e ficarão responsáveis por fazer a cabeceira, montagem, um tablado de concreto, além do transporte e mão de obra.

Segundo o secretário Estadual da Defesa Civil, João Batista Cordeiro, até o momento foram feitos mais de 400 pedidos dessas peças para a construção de pontes por parte dos municípios espalhados pelo Estado, e uma parte já foi retirada da Hercílio Luz. A Defesa Civil está conversando com os prefeitos e segue avaliando as possibilidades de tudo o que pode ser feito, com base na necessidade de cada município. Até o momento, na Amrec, os municípios de Criciúma, Treviso e Lauro Müller já encaminharam os ofícios solicitando os kits à Defesa Civil.

As pontes irão suportar até 45 toneladas, ou seja, serão pontes menores, de até 12 metros. Cordeiro explica que esta foi uma iniciativa da Defesa Civil do Estado. “A gente foi visitar a Ponte Hercílio Luz, e vimos que era um problema para o Governo, devido à grande quantidade de peças. O Estado teria que fazer um leilão, onde cada peça seria vendida por 30 centavos o quilo. E para o Estado seria pouco recurso. Sendo assim, vamos trabalhar de maneira preventiva, vamos evitar transtornos e trabalhar preventivamente”, comenta. 

A empresa contratada está averiguando a situação das ferragens da Ponte, avaliando e fazendo testes, visto que algumas delas, por estarem próximas ao mar, não se encontram em situação de uso.