Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Dal Farra reforça posição contrária sobre volta do Catarinense no início de julho

Rodada deste domingo foi suspensa pela FCF, após notificações da Vigilância em Saúde do Estado
Paulo Monteiro
Por Paulo Monteiro Criciúma - SC , 13/07/2020 - 09:36Atualizado em 13/07/2020 - 12:59
Foto: arquivo / 4oito
Foto: arquivo / 4oito

A rodada de domingo, 12, do Campeonato Catarinense foi suspensa pela Fundação Catarinense de Futebol (FCF), após notificação da Superintendência de Vigilância em Saúde Estadual. O retorno do Campeonato durou, então, uma partida após uma nova suspensão de rodada. O presidente do Criciúma, Jaime Dal Farra, reforçou em entrevista ao programa Adelor Lessa desta segunda-feira, 13, a posição contrária do clube sobre o retorno dos jogos no início de julho.

"Fizemos uma reunião no início de junho e a posição era muito firme do Criciúma no sentido de voltar em 19 ou 26 de julho, como estava previsto no Cameponato Gaúcho ou Paranaense. Estamos na mesma região, e entendemos que uma das nossas defesas é de que pudéssemos liberar 30% do público e, quanto mais para frente, mais viável seria", destacou Jaime.

Segundo o presidente do Tigre, Criciúma, Joinville, Avaí, Chapecoense, Marcílio e Figueirense foram notificados pela Vigilância em Saúde por descumprir o protocolo de segurança. "O protocolo do estado diz que, se tiver algum notificado, teriam que todos ir para quarentena. Estamos avaliando algo nesse sentido agora", pontuou.

Com isso, a rodada está suspensa e os clubes não poderão jogar por 14 dias - tempo de quarentena para os jogadores. O fato, no entanto, segundo Jaime, não interfere na realização de treinos por parte dos times.

"Isso não restringe treinamento, está valendo ainda o protocolo de treinamentos com todos cuidados e tetes. Nenhum teste deu alteração no clube, fizemos temperaturas, máscara, higienização, está tudo sendo cuidado", afirmou.