Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Saiba quem foram os presos da Operação Saldo Negativo

Operação conjunta da Polícia Federal e Receita Federal prendeu 8 em Santa Catarina
Arthur Lessa
Por Arthur Lessa Criciúma, SC, 05/11/2019 - 22:48Atualizado em 06/11/2019 - 09:36

Após dois anos de investigações, a Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram, na manhã desta terça-feira, 5, a Operação Saldo Negativo, que terminou com oito presos em Santa Catarina.

Entre os presos está Egídio Bonin, analista tributário da Receita Federal lotado em Florianópolis, e o advogado Fagner dos Santos Araújo, residente em Criciúma e sócio da empresa Platinum Consultoria Empresarial, com sede em Florianópolis, e engrenagem central do esquema fraudulento. Este segundo teve um grande volume de pertences recolhidos pelos oficiais da Operação, tanto em Criciúma quanto na região das lagoas do Balneário Rincão.

Confira os catarinenses presos na Operação Saldo Negativo:

  • Antonio Arão Melo Rodrigues: contador em São José.
  • Delmar Muller: sócio de empresa de consultoria e gestão empresarial com sede em Indaial e Brasília.
  • Egidio Bonin: analista tributário da Receita Federal em Florianópolis.
  • Fagner dos Santos Araújo: sócio da empresa Platinum Consultoria Empresarial Eireli.
  • Josiane Cardoso de Souza: empresária no Sul do Estado.
  • Juliana Hess: advogada
  • Julio Cesar Hess: sócio de duas empresas de assessoria empresarial.
  • Leonardo Walter – empresário.

O esquema

Segundo o delegado da Polícia Federal Carlos Eduardo Fistarol, responsável pela Operação, a organização oferecia aos clientes a possibilidade de pagamentos de tributos com deságio. Assim que o empresário fazia o contato com a assessoria, esta fazia os lançamentos falsos à Receita Federal e encaminhava os valores à organização criminosa. Tanto o contratante, que tinha convicção de estar em dia com o Fisco, quanto a União, que tinha 100% de prejuízo, eram vítimas do esquema.

Por exemplo: Se uma empresa devesse R$ 100 mil à Receita Federal, a organização criminosa cobrava R$ 70 mil e este valor ia todo para a organização, sem que a União recebesse um centavo. Como consequência, a empresa que contratou a organização ficava em dívida com a União e, assim que fosse feita uma auditoria, teria que arcar com uma multa que pode chegar a 225%.

As investigações prévias da Polícia Federal e da Receita Federal apontam para um número de 3,5 mil empresas clientes que seriam vítimas do golpe.

Veja também:
- Operação da Polícia Federal cumpre mandados em Criciúma
- Viaturas foram vistas em diversos pontos da região desde as primeiras horas da manhã
- Operação Saldo Negativo: Receita Federal explica como funcionavam os desvios fiscais

Outros 17 envolvidos foram presos em outros estados:

  • Adriano Pretel Leal
  • Antonio Ataide Perossi Junior
  • Claudia de Sousa Masullo
  • Claudio Roberto de Pina
  • Cleide Fatima de Pina
  • Cleine Fatima de Pina
  • Daniel Wikanski
  • David Pires de Oliveira
  • Eduardo Sabatelau
  • Eliana Brajao Dante
  • Luciano Lima Falconi
  • Marco da Silva França
  • Ricardo Henrique da Silva
  • Roberto Moreth
  • Rodrigo Abrão Imbrizi Petrini
  • Silvio Bazylewski
  • Ubirajara Rioto