Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
Por Raul Sartori 20/03/2019 - 06:00Atualizado em 23/03/2019 - 17:06

Por portaria da presidência do Legislativo estadual, o ex-prefeito de Içara, Gentil Dory da Luz, foi nomeado, sexta-feira passada, para cargo na liderança da  bancada do PMDB. Nada demais se Luz não fosse  investigado pelo Ministério Público por suspeita de desvio de mais de R$ 1 milhão quando prefeito. Seus bens estão bloqueados e o processo em curso, incluindo pedido judicial para que se mantenha afastado de cargo público. Há um ano o mesmo Luz ensaiou sua posse como secretário de desenvolvimento regional de Criciúma. Por fortes reações de entidades locais, o então governador Pinho Moreira recuou. Da sua nomeação se conclui que continua a farra de sempre na nossa Assembleia Legislativa. De fantasmas que se escondem em “atividades externas” e de corruptos escorraçados de seus municípios. Socorro!

Por Raul Sartori 19/03/2019 - 06:00Atualizado em 23/03/2019 - 17:03

Continha rápida feita numa sala próxima ao gabinete do governador Carlos Moises, no Centro Administrativo do Governo, há poucos dias:  o total de incentivos fiscais concedidos anualmente pelo governo estadual, de R$ 6 bilhões, é o mesmo que valem, hoje, duas Celesc.

Mais um

O senador Jorginho Mello (PR-SC) também está entre os 27 que até ontem assinaram o requerimento para a ada vez mais clamada criação da CPI da Lava Toga. O nome de Esperidião Amin (PP-SC) já está lá. Dário Berger (MDB-SC) ainda se cala.

Por Raul Sartori 18/03/2019 - 06:00Atualizado em 18/03/2019 - 16:40

Só pelo título dado fica claro o viés ideológico da agenda desta semana das aulas magnas ou inaugurais na UFSC. E o contribuinte, ali, bancando hospedagem, passagem aérea e outras despesas dos “convidados” de discurso mais que feito e conhecido, com todo respeito à esquerda honesta intelectualmente que ainda temos. Além do ativista e coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores sem Teto, Guilherme Boulos, que dispensa apresentações, que fala amanhã no auditório da Reitoria, hoje pela manhã será a vez de Nilma Lino Gomes, da Universidade Federal de Minas Gerais, abordar “Ações afirmativas como estratégia de resistência em tempos de retrocesso” (?), na aula do programa de pós-graduação em Educação. Dia 21 será a vez do professor Ricardo Mariano, da USP, fazer a aula inaugural do programa de pós-graduação em Sociologia Política. Abordará “Religião e política no Brasil: ascensão da direita cristã”. Dá para imaginar se a maior universidade pública catarinense não tivesse em seu ideário o decantado “pluralismo”, em seu sentido mais amplo, mas principalmente de ideias. Universidade que por seu viés ideológico radical e inconsequente, de anos a fio, não procura e nem quer saber porque boa parte da população catarinense lhe devota merecida indiferença e uma hostilidade e isolamento crescente. Virou como que um gueto.

Consumidor

Até a última sexta-feira, 15, Dia Mundial do Consumidor, haviam 125.484 mil processos em tramitação no Judiciário catarinense relacionados a conflitos de consumo. O número corresponde a 5% do total em andamento – que é de estratosféricos 2.584.634. Comparado ao mesmo período do ano passado, as ações tiveram uma queda de 5,6%. Em março de 2018, eram 132.886 mil.  Apesar de mais expressivo, somavam os mesmos 5% do total - 2.756.697 milhões. Entre os assuntos mais recorrentes estão: inclusão indevida em cadastro de inadimplentes, indenização por dano moral, seguro, revisão de contrato e telefonia.

Por Raul Sartori 16/03/2019 - 06:00

Fora do alcance de câmeras e microfones, o presidente Jair Bolsonaro foi informado, quinta-feira, ao receber pequeno grupo de reitores da
Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe), que ao contrário das universidades federais, sabidamente aparelhadas politicamente nos governos do PT, o sistema comunitário, como é o de SC, não tem a vinculação, já que atua em diferentes municípios com prefeitos dos mais diversos partidos, que não ousam fazer maior ingerência. Bolsonaro ficou tão entusiasmado que prometeu agendar uma visita a uma ou mais instituições catarinenses assim que for possível.

Aulas magnas

Há um imenso tititi quanto à presença do ativista Guilherme Boulos, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), terça-feira, 19, para dar aula magna na reitoria da UFSC, convidado pelo seu DCE. Os que odeiam a esquerda não sabem que vários centros e cursos da instituição também estão fazendo ou farão aulas inaugurais com convidados de diferentes plataformas ideológicas. Sexta-feira, por exemplo, o palestrante do Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução foi o filósofo espanhol Eduardo Subirats. O debate versou em torno de vários tópicos, entre eles “o que é um microintelectual?”.

Por Raul Sartori 15/03/2019 - 06:00Atualizado em 16/03/2019 - 00:14

O fundamentado estudo do Tribunal de Contas apontando que 105 municípios de SC com menos de 5 mil habitantes não conseguem se sustentar diz que caso não tivessem sido emancipados o Estado poderia ter economizado R$1 bilhão ao ano.

Se...

Para o deputado estadual Sargento Lima (PSL), se a escola de Suzano tivesse segurança armado, a tragédia de quarta-feira poderia ter sido evitada. Será? O mesmo deputado defende o porte de arma para agentes de segurança socioeducativos em SC. Tais profissionais atuam diretamente com menores infratores.

Por Raul Sartori 14/03/2019 - 06:00Atualizado em 16/03/2019 - 00:08

O Tribunal de Contas do Estado, numa atitude sobretudo cidadã e de respeito ao contribuinte, que é quem quita a fatura, se conscientizou que tem fazer algo no delicado problema que hoje envolve 105 municípios cuja receita é insuficiente para se manter. Chamou o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Joares Ponticelli, prefeito de Tubarão, para um começo de conversa.

Inquisição

O Estado brasileiro é laico, e isto significa, por exemplo, que o ensino não deve ser específico de nenhuma religião. Está na Carta Magna. Mas tem os que não sabem ler ou não querem ouvir, como vereadores de Balneário Camboriú, prestes a aprovar projeto que obriga a leitura da Bíblia em suas escolas.
 

Por Raul Sartori 13/03/2019 - 06:00Atualizado em 14/03/2019 - 21:57

Tanto para o bem como para o mal, os seguidores do polêmico filósofo e professor Olavo de Carvalho, tido como o guru de Jair Bolsonaro, estão na mira dos críticos, a favor ou contra. Em SC a mais notável aluna do pensador é a jovem deputada estadual Ana Campagnolo (PSL), que também é graduada em História e pós-graduada em Literatura Portuguesa. Faz sua defesa com unhas e dentes.

Previdente 

Nas poucas visitas ao interior que tem feito até agora o governador Carlos Moisés já marca uma nítida diferença de todos os anteriores de décadas recentes:  chega, ouve muitos pedidos, libera o que estava programado ou obrigatório e fica calado, não prometendo nada demais. É que não sabe, verdadeiramente, o que terá no caixa nos próximos meses.

Por Raul Sartori 12/03/2019 - 06:00Atualizado em 12/03/2019 - 23:28

As grandes entidades que representam a classe produtiva do Estado armam-se, numa espécie de levante, quando qualquer autoridade acena com a possibilidade de aumentar impostos. Mas silencia, convenientemente, quanto ao festival bilionário de incentivos fiscais. Nem propor que se faça uma rigorosa revisão, pelo menos?

Primeira

O governador Carlos Moisés não atravessou as pontes de Florianópolis nos dois primeiros meses de seu governo. Quando rompeu a barreira e começou ir além delas, como Joinville e Tubarão, a mídia das duas cidades fez questão de destacar, em manchetes, que o comandante estava fazendo a “primeira” visita”. Fato também mencionado em cada um dos eventos em que esteve nas respectivas cidades.

Por Raul Sartori 11/03/2019 - 06:00

Assim não há Previdência, mesmo reformada, que resista. Um grupo de 29 congressistas, não reeleitos, se aposentaram no início deste ano e passaram a receber entre R$ 8.778,38 e R$ 33,7 mil de aposentadoria especial mensal. Entre os beneficiados estão os catarinenses Cesar Souza, R$ 8.778; Paulo Bauer, R$ 28.071; Valdir Colatto, R$ 15.830 e Ronaldo Benedet, R$ 16.431.

Poder

Tida como a “mãe da Lava Jato”, Érika Marena, ex-delegada da Policia Federal em SC, notabilizada por solicitar a prisão de Luiz Carlos Cancelier, ex-reitor da UFSC, que por isso se suicidou, foi nomeada pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, como conselheira do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão que detecta movimentações bancárias.

Por Raul Sartori 09/03/2019 - 06:00Atualizado em 11/03/2019 - 00:38

Na caixa-preta dos incentivos fiscais concedidos pelo governo estadual – são R$ 6 bilhões/ano que deixam de entrar no seu caixa com a renúncia de impostos – alguém descobriu não apenas que empresas de um mesmo setor tem tratamento diferenciado, como também que parte significativa das beneficiadas devem impostos estaduais. Dezenas de milhões, sem que nunca fossem incomodadas. Mas seus donos posam de milionários nas redes sociais.

Bicadas

Os tucanos de SC, também infectados pelo vírus da vaidade, tendem a se bicar ainda mais. Havia sinais de paz, com apenas um candidato para presidir o partido no Estado. Era Beto Martins, ex-prefeito de Imbituba. Mas esta semana se apresentou, para o mesmo posto, o deputado federal Marco Tebaldi.

Por Raul Sartori 08/03/2019 - 06:00Atualizado em 11/03/2019 - 00:54

Em entrevista para a Rádio Som Maior, de Criciúma, e falando de Londres, o ex-governador Pinho Moreira admitiu que realmente havia (e há ainda, obviamente) incentivos fiscais incabíveis dentre os R$ 6 bilhões de renúncia fiscal anual. Esqueceu de dizer que o pai de tanta generosidade foi o governador Luiz Henrique da Silveira, que até negociou o aumento do duodécimo dos poderes para não ser deixado em paz. Moreira disse que a CPI da Assembleia Legislativa que vai investigar essa caixa-preta prestará um “grande serviço” ao Estado. A conferir. Se diz isso é porque não teme nada?

Espaço pequeno

Pelo que ambos andam dizendo um do outro, em pouco tempo o PSL de SC não terá mais espaço para duas de suas principais lideranças: o deputado federal Coronel Armando e o presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino. Nas decisões e opiniões um fala grego e o outro javanês. No meio de tudo, ou acima de tudo, estão vaidades e disputa pelo poder.

Por Raul Sartori 07/03/2019 - 06:00Atualizado em 11/03/2019 - 00:47

Quem diria! A notória Engevix, enrolada em bilhões na Lava Jato, ganhou concorrência por oferecer o melhor preço – uma pechincha de pouco mais de R$ 1 milhão do governo catarinense - , para fiscalizar a empresa que vai fazer reparos estruturais nas pontes Pedro Ivo Campos e Colombo Salles, em Florianópolis.

Outra Lava Jato

Jair Bolsonaro anuncia que vai haver uma Operação Lava Jato na Educação, em especial nas universidades federais, que tem autonomia financeira. A comunidade acadêmica está nervosa, incluindo a da UFSC, alvo de uma estabanada operação em 2017, sem chegar a conclusão nenhuma, mas que teve como trágico  desenlace  o suicídio do seu reitor, Luiz Carlos Cancelier de Olivo.
 

Por Raul Sartori 06/03/2019 - 06:00Atualizado em 11/03/2019 - 00:43

Impressionante! Diz o “Estadão”, em levantamento, que a Câmara dos Deputados mantém 80% do seu quadro de funcionários com indicações políticas. Ao todo, são 11.817 no momento. Na realidade, boa parte só dá expediente nas bases eleitorais dos congressistas, quando não transformados em verdadeiros cabos eleitorais daqueles, durante os quatro anos do mandato. Transfira-se o endereço para a Assembleia Legislativa de SC e se verá a mesma prática. 

Distantes

Na Assembleia Legislativa estão se formando, agora e nas próximas semanas, frentes parlamentares juntando deputados por regiões, como Vale do Itajaí, Oeste, Sul e Planalto Norte. Os deputados estaduais da região da Grande Florianópolis demonstram não estar nem aí. Acham que se garantem individualmente e que tudo fica por assim mesmo em relação a seus eleitores. Vamos ver.

Por Raul Sartori 02/03/2019 - 06:00

Um passarinho veio dizer que não se deve convidar o ex-governador Raimundo Colombo e o ex-deputado estadual Gelson Merísio, candidato a governador pelo PSD nas eleições de 2018, para ficar diante da mesma bola de cristal. Verão um futuro de separação política total entre os dois.

Influente

O deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC) é o parlamentar catarinense mais influente nas redes sociais. Tem mais seguidores em sua página no Facebook do que a soma dos outros 15 deputados federais do Estado, conforme ranking do Instituto FSB Comunicação. Até sexta-feira tinha 618.794 seguidores, contra pouco mais de 405 mil dos outros colegas de parlamento.

Por Raul Sartori 01/03/2019 - 06:00

Um a cada três funcionários públicos municipais é filiado a partidos políticos, conforme pesquisa do instituto paulista Insper. Um dos exemplos citados no estudo é a Operação Seival, em SC, envolvendo servidores apadrinhados de políticos que teriam sido favorecidos em concursos públicos, como acesso prévio aos quesitos pelos quais seriam avaliados nas provas. A proporção de funcionários ligados a partidos em algumas cidades chega a 50% do total, afirma o estudo.

O que aconteceu?

Vários deputados estaduais se perguntam, boquiabertos, depois de ouvirem o secretário da Fazenda, Paulo Eli, semana passada, pintando um quadro catastrófico nas finanças do Estado, o que aconteceu, principalmente com ele. O mesmo Paulo Eli esteve lá, em dezembro, anunciando várias medidas saneadoras e agora fala em calamidade financeira.

Por Raul Sartori 27/02/2019 - 06:00

Agora foi o jornal “O Globo” que citou a candidata a deputada federal pelo PRB de SC nas eleições de 2018, Rejane Garopaba (seu nome de registro é Rejane Terezinha Bueno) advogada, 49 anos, que conquistou nas urnas apenas 414 votos mas recebeu a apreciável soma de R$ 592.200 do fundo partidário para fazer sua campanha. Cada voto custou R$ 1.152. Gastou R$ 228,1 mil na mesma gráfica usada pelo presidente do PRB-SC, com quem fez 1,9 milhão de santinhos. Agora está sendo investigada como possível candidata laranja.

Coragem

Fale-se em rodas, principalmente na Ilha de SC, da “coragem” do governador Carlos Moisés que até agora mandou para as calendas perto de mil cargos comissionados da administração direta que, conforme avaliação, eram totalmente dispensáveis. “Coragem” porque nenhum outro governador conseguiu. Aliás, sequer tentou. Em todos funcionou o imoral e conhecido toma-lá-dá-cá.

Por Raul Sartori 26/02/2019 - 06:00Atualizado em 27/02/2019 - 21:22

Com a surpreendente prisão de Robson Braga de Andrade, e seu afastamento por 90 dias da presidência, a Confederação Nacional da Indústria considera o que está no seu estatuto, ou seja, seu substituto seria um dos vice-presidente. Uma assembleia, nesta quinta-feira, decidirá o assunto e a oposição pode chegar lá com o ex-presidente da Fiesc, Glauco Corte, que defende transparência na entidade. O outro candidato, afinado com a situação, é o goiano Paulo Afonso Ferreira.

Custos, custos!

O presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Joares Ponticelli (PP), prefeito de Tubarão, está diante de um desafio de grandes proporções: atender o que enseja estudo do Tribunal de Contas do Estado para quem, conforme estudo recente, as despesas públicas poderiam ser substancialmente reduzidas se 105 municípios de SC com menos de 5 mil habitantes voltassem a ser distritos, ou deixar tudo como está. Sabe-se quem está pagando a conta. É aquele otário de sempre.

Por Raul Sartori 25/02/2019 - 06:00Atualizado em 27/02/2019 - 21:12

Não dá para desprezar o fato de o governador Carlos Moisés mandar cortar o cafezinho em todos os órgãos da administração estadual e tentar reduzir custos em tudo o que é possível, e agora ainda dizer que até os salários dos servidores da administração direta podem sofrer atrasos, enquanto não se vê nenhum sinal de grandeza, mínimo que fosse, do Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, Assembleia Legislativa e Ministério Público. Quem sabe se abolissem alguns privilégios, como veículos para cada um de seus deputados, desembargadores, juízes, promotores, procuradores, conselheiros, diretores e até gerentes, entre outros, com seus motoristas, locação dos mesmos, espaços ocupados nas garagens (quando não especialmente construídas para tal, sem dar nenhuma vaga para quem precisa dos serviços de tais instâncias), poderiam reduzir seus imensos custos. Quem sabe, num gesto mais nobre ainda, possam propor, a partir de suas cabeças dirigentes, a redução do seu já altíssimo duodécimo. Sim, porque apesar do conhecido festival de gastança desmesurada, tem sobrado dinheiro, implicando inclusive em devoluções para o Executivo. Medidas assim permitiram que mais recursos fiquem para aplicar em educação, saúde, habitação, saneamento, etc., tão carentes e até inimagináveis para milhares de excluídos catarinenses.  Um amigo deste espaço, que conhece logística, imagina que o TJ-SC, Assembleia Legislativa, TCE-SC e MP-SC tenham uma frota próxima de mil 800  500 veículos e o dobro de motoristas, com uma despesa de dezenas de milhões por ano para atender uma elite que  já ganha o suficiente para ir trabalhar com seu próprio carro ou de táxi. Enraivece ter que registrar isso e saber, por exemplo, que o hospital Beatriz Ramos, de Indaial, que atende 5 mil pessoas por mês, pode fechar porque a Justiça Federal determinou o leilão de suas instalações físicas por ter uma dívida de risíveis R$ 1,7 milhão para a União. Enraivece também porque se sabe que por falta de dinheiro para bancar bolsas de estudo pelo Artigo 170 algumas centenas, talvez milhares de jovens de SC, só chegam à universidade em sonhos.

Por Raul Sartori 23/02/2019 - 06:00Atualizado em 26/02/2019 - 23:13

O governador Carlos Moisés manda dizer, sobre nota, aqui, ontem, que reconhece tem ficado muito tempo na Ilha de SC desde sua posse, mas que já tem programadas diversas viagens pelo Estado. A primeira deve ocorrer ainda este mês, para Joinville.  Na sequência, mais outras, que passarão a constar do calendário oficial como rotina.

Codinome

A CPI a ser criada na Assembleia Legislativa para apurar os bilhões de incentivos fiscais dados pelos governos estaduais recentes, principalmente na gestão de Luiz Henrique da Silveira, já tem um nome chamativo para atrair atenções: CPI da Caixa Preta do ICMS.

Por Raul Sartori 22/02/2019 - 06:00Atualizado em 26/02/2019 - 23:02

Se for constituída uma CPI na Assembleia Legislativa para investigar quem concedeu e as empresas beneficiados com R$ 6 bilhões de incentivos fiscais pelo governo do Estado, haverá um embate com direito a plateia: quem vai saber primeiro. Se isto realmente acontecer. Porque nem o Tribunal de Contas do Estado conseguiu. O que dá a dimensão do tamanho dessa caixa-preta.

Lá em cima

No Congresso Nacional, o senador Esperidião Amin (PP-SC) apresentou projeto de lei complementar que define mecanismos de avaliação e revisão de incentivos fiscais praticados pela União. A intenção é aperfeiçoar a Lei de Responsabilidade Fiscal, reavaliar o alcance dos benefícios e seu impacto para as contas de estados e municípios. Amin criticou o montante que corresponde às renúncias fiscais no Orçamento da União deste ano. Chegam a R$ 370 bilhões. Socorro!

1 2 3 4 5 6 7