Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...
CORONAVÍRUS - Saiba mais aqui

Nyra Terezinha Búrigo Escouto - Primeira médica em Criciúma

Por Dr. Henrique Packter 05/12/2019 - 10:14Atualizado em 05/12/2019 - 10:15

ESSE NOSSO LOUCO MUNDO DE 1968 

O ano de 1968, entrou para a história conhecido como o ano que não terminou. Martin Luther King e Robert Kennedy assassinados, manifestações contra a Guerra do Vietnã e  regimes autoritários em diversos países do mundo, sobretudo na América Latina. 5 a 8.8.1968:Convenção Republicana nos EUA elege Richard Nixon, candidato a presidente.
 
RESIDÊNCIA MÉDICA DE NYRA, RJ
 
Instituto de Ginecologia (IG), localizado no Hospital Moncorvo Filho, Centro do RJ, é centro de referência para o Grande Rio e todo o estado. Atendeu 250 mil pacientes em 57 anos de funcionamento. Nyra trabalhou nesta instituição há 48 anos, quando o serviço contava 9 anos de existência.
 
Apenas três instituições públicas no RJ possuem Serviço de Radioterapia: Inca, Hospital de Oncologia e Moncorvo. Rádio é procedimento terapêutico imprescindível na oncologia ginecológica e determina prolongado acompanhamento dos pacientes. Trabalha hoje, com reprodução humana e fertilidade; reestrutura-se para reprodução in vitro.
 
NO RJ
 
1969, ano do milésimo gol de PELÉ no Maracanã em jogo noturno contra o Vasco da Gama (19.11.1969), NYRA e ODILON permanecem no RJ de 1970 a 1971 e em dezembro de 1971 estão em Criciúma.
 
Abril de 1972 são admitidos no Corpo Clínico do HSJB, Nyra Terezinha Escouto Froelich  (ginecologista e obstetra) e Odilon Froelich (cirurgião geral).
 
De janeiro de 1972 a final de 2.000 quando Nyra faleceu, são 28 anos de trabalho médico em Criciúma.
 
Transfere-se para o HSJ, após longos anos trabalhados no HSJB. Nyra ainda não sabia que contava pouco tempo de vida. Mas, foi quando melhor a conhecemos, pelas prosas na sala dos médicos do Centro Cirúrgico. Aguardando paciente ou o preparo da sala operatória, médicos conversavam consumindo café em doses generosas.
 
NYRA, graduada em Curitiba, como eu e tantos outros profissionais que atuavam ou haviam atuado em Criciúma: João Conrado Leal (1956), Lourenço Cianci Filho, Albino José de Souza Filho (1963), João Apparecido Kantovitz (1963), Manif-Naby-Anoar Zacharias, Thomaz Reis Mello (1956), Everaldo Sabbatini (1955), Luiz Eduardo dos Santos (1962), Elio Miguel Matielo. Jogávamos conversa fora, até que nos convocassem para o trabalho, para a cirurgia.

ALBINO e KANTOVITZ são formados em Curitiba no mesmo ano, mas em diferentes faculdades. ALBINO JOSÉ DE SOUZA Fº (1963), NYRA e ODILON (1968) estudam na mesma PUC/PR em épocas diferentes.

ODILON e NYRA graduam-se no Curso de Medicina pela Universidade Católica do Paraná, em 1968.  Uma semana após a formatura, novembro de 1968, Nyra e Odilon casam-se. Em seguida vão para residência médica no RJ, onde ingressam em 31.12.1969

Albino concluiu residência em clínica médica e pneumologia no Hospital do Servidor do Estado do RJ em 1967, ano que iniciou como pneumologista no Hospital Bom Sucesso, RJ, onde permaneceu até 1968, quando vem a Criciúma. NYRA e ODILON permanecem no RJ de 1970 a 1971 e em dezembro de 1971 estão em Criciúma. 2.955