Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Laerson Nicoleit, primeiro médico de Morro da Fumaça

Por Dr. Henrique Packter 03/11/2018 - 06:00Atualizado em 06/11/2018 - 11:56

No livro JESUS, O GALILEU PASSIONÁRIO de Padre Claudino Biff, na apresentação, Mons. Agenor Neves Marques faz o elogio do autor: Sociólogo laureado pela Pontifícia Universidade de Roma, especializou-se na psicoterapia de viciados, dedicando sua vida pastoral a adolescentes e jovens vítimas das drogas. Livro concluído em 14.10.1998, autor veio a falecer em 28.10.1998. Lançamento da obra foi no Natal de 1998.

Em 1996, Laerson Nicoleit em DIÁFANO, 2ª edição, pág. 95 escreveu Missa do Galo. (...) conta-se que houve um galo que vivia muito preocupado em cantar para que o sol se levantasse – se ele não cantasse seria um desastre, o sol não surgiria; até que um certo dia ficou rouco, não pôde cantar e descobriu que ainda não cantando o sol se levantava do mesmo jeito. (...) Ora, o galo canta a luz, o nascimento de um novo dia, de uma nova era, assim a missa que celebra esse início dos dias, sucessivamente mais longos foi chancelada como missa do galo.

Em 2010, Morro da Fumaça comemorou seu centenário de colonização. O hino do município, emancipado em 1962, tem letra de Monsenhor AGENOR NEVES MARQUES e música do Padre ELIAS DELLA GIUSTINA. O atual território fumacense era a divisa dos territórios dos Carijós (Tupy, índio do litoral) e dos Xoklengs (Jê, botocudo, índio do interior e do planalto).