Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Carregando Dados...

Crônica da cidade

Por Archimedes Naspolini Filho 18/02/2019 - 06:00Atualizado em 18/02/2019 - 23:26

JORNAL TRIBUNA CRICIUMENSE, precursor de A TRIBUNA, edição de 21 de dezembro de 1959, especial de Natal.

SEMINÁRIO SÓCIO-ECONÔMICO DE CRICIÚMA – Teve lugar, terça-feira, dia 15, às 15 horas, movimentada e proveitosa reunião, levada à feito pela Federação das Indústrias de Santa Catarina, no salão da Sociedade Recreativa Mampituba, para discutir, informalmente, os mais diversos problemas que dizem respeito à coletividade barriga-verde como, aliás, vem procedendo em todo o território catarinense. Com a presença de crescido número de industriais, comerciantes, profissionais liberais e representantes dos municípios de Siderópolis e Urussanga, o Senhor Celso Ramos, presidente da Fiesc, explicou as finalidades do conclave solicitando aos presentes que  debatessem, com rude franqueza, todos os assuntos  constantes dos questionários previamente distribuídos, passando, a seguir, a palavra ao Dr. Sebastião Toledo dos Santos, presidente da Comissão Permanente do Sindicato dos Mineradores, o qual iniciou a discussão dos assuntos em pauta. Diversos oradores se fizeram ouvir externando as mais diversificadas opiniões a respeito dos problemas ventilados, findo os quais foram devolvidos os questionários para posterior estudo e conclusões. Faltou informar que se tratava da fase preliminar do I Seminário Sócio Econômico que a Fiesc promoveu na cidade de Blumenau e que serviu de pano de fundo para a elaboração do plano de governo de Celso Ramos ao governo do Estado.

CANDIDATO A PREFEITO DE CRICIÚMA – Por intermédio de Tribuna Criciumense, venho desmentir, de maneira solene que sou candidato, por qualquer partido ou coligação de partidos, à sucessão do Sr. Addo Caldas Faraco. Qualquer exploração ou comentário a esse respeito não representa a verdade. Reitero o firme e inabalável propósito de envidar todos os esforços no sentido de dar à Satc, obra que reputo de alta relevância para o operariado e seus familiares da zona carbonífera, todos os meus esforços. Ass. Nery Jesuíno da Rosa. KKK. Era dezembro e ele fazia, por escrito, essa declaração. Em outubro aplicou derrota ao udenista Aldo Luz e se tornou prefeito da cidade. O político pode até mentir, mas não pode publicar a mentira, embora com razoável antecedência.

Era a edição de Natal de 1959 e foram publicadas muitas mensagens alusivas às festas natalinas. Das empresas que publicaram ainda estão presentes na formação da nossa economia: Casa Imperial, Alcino Zanatta, Jugasa, Cia. Carbonífera Catarinense, Retífica de Motores Nereu, José Fretta & Cia, Casa das Gaitas, Relojoaria e Ótica Silvestre, Hotel Brasil, Carbonífera Criciúma Ltda., e Farmácia São José.

E eu retornarei amanhã. Até lá amigos e um abraço do meu tamanho.

Bibliografia: coletânea Tribuna Criciumense, Arquivo Público Pedro Milanez.